PUBLICIDADE

O que é sururu e como ele é consumido?

Molusco é típico da culinária alagoana e pode ser consumido de várias formas

7 dez 2023 - 13h10
Compartilhar
Exibir comentários
Moqueca de sururu é um dos pratos da culinária alagoana
Moqueca de sururu é um dos pratos da culinária alagoana
Foto: iStock

O sururu é um molusco bastante consumido em pratos típicos da culinária alagoana e seu preparo é feito através do cozimento em água e sal, cru ou incluído no preparo de pratos como ensopados, caldeirada e moquecas.

Segundo um estudo do laboratório de microbiologia da Ufal (Universidade Federal de Alagoas), o molusco é rico em proteínas de alta qualidade, que têm a função de formação e recuperação dos tecidos, é de fácil digestão e tem baixo teor de gordura em relação a outros animais. Com a poluição do meio ambiente e o mau manejo do produto esses benefícios foram prejudicados ao longo do tempo.

A manipulação incorreta e a poluição das lagoas geram prejuízos à saúde e perda nutricional.

Uma forma simples e saudável de ingerir o sururu é através do caldinho. A chef Paola Carosella já ensinou uma receita. Confira abaixo:

Caldinho de sururu

Ingredientes:

2 colheres de sopa de óleo de coco 

1 cebola picada

1 talo de coentro (raiz e folhas)

1 colher de gengibre ralado

1 dente de alho 

1 tomate cortado em cubos

300g de sururu

1L de leite de coco

Colorau (opcional)

Pimenta de cheiro

Modo de preparo:

Em uma panela boa, coloque um pouco de óleo de coco, adicione uma cebola picada, o coentro, o picado e o gengibre ralado. Mexa, após refogado adicione o alho, o tomate, um pouco de folhas de coentro, 300 gramas de sururu limpo. Misture tudo, adicione o leite de coco e deixe cozinhar por 10 minutos. Inclua colorau se quiser, coloque um pouco de coentro e a pimenta ou azeite de pimente. Está pronto!

Risco de extinção

O sururu se desenvolve nos manguezais banhados por rio doce ou estuários, encontrado nas Costas do Nordeste, incluindo a lagoa Mundaú, onde corre o risco de ser extinto após a possibilidade de desabamento de uma das minas da Braskem, empresa responsável pela mineração que afetou cinco bairros de Maceió.

Se isso acontecer, poderá ocorrer um aumento de sal na lagoa Mundaú que irá desestabilizar o meio ambiente e extinguir espécies nativas locais, como o sururu.

Redação Degusta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade