PUBLICIDADE

Estudo de Harvard detona o arroz branco; veja se você deve parar de comer

Artigo destaca que uma porção do alimento tem 'praticamente o mesmo impacto que consumir açúcar de mesa puro'

4 dez 2023 - 13h43
(atualizado às 14h48)
Compartilhar
Exibir comentários

 

Arroz branco aumenta o nível de açúcar no sangue, aponta estudo
Arroz branco aumenta o nível de açúcar no sangue, aponta estudo
Foto: iStock

Um novo estudo dilvulgado pela Universidade de Harvard concluiu que o arroz branco não é uma opção saudável por conta da quantidade de carboidratos, que eleva o nível de açúcar no sangue rapidamente.

A casca do arroz é retirada durante seu processo de industrialização, o que ocasiona a perda de fibras, minerais e vitaminas e preserva apenas o amido. Por conta disso, cada 100 gramas de arroz branco contêm de cerca de 28,2 gramas de carboidratos.

E como a quantidade total de carboidratos em uma refeição desempenha um papel fundamental nas variações do nível de açúcar no sangue, esse número alto pode ser prejudicial para a saúde.

"Uma porção de arroz branco tem praticamente o mesmo impacto que consumir açúcar de mesa puro. Causa um aumento rápido e alto no açúcar no sangue", diz o artigo.

Os pesquisadores de Harvard aconselham na conclusão do estudo que as pessoas com diabete evitem este alimento, assim como outros que tenham um efeito semelhante.

"Optar por fontes saudáveis de carboidratos pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue e o peso. Além disso, está relacionado com um menor risco de doenças cardíacas e de certos tipos de câncer”, diz a pesquisa.

Profissional alerta sobre 'terrorismo nutricional'

O nutricionista Elton Bicalho, vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 4a Região, considera a forma como o resultado dessa pesquisa está sendo divulgado um terrorismo nutricional, por conta da preocupação excessiva do consumo desse alimento.

"O fato de ter uma instituição ou pesquisador renomado por trás desse estudo, coloca em xeque a situação desse alimento. O arroz branco é um alimento que no processo da industrialização tira a parte da casca, onde tem o maior teor de fibra e com isso você reduz a quantidade de fibras e aumenta o índice glicêmico. Só que dificilmente você vai ter o arroz comido sozinho na refeição".

"Você mistura o arroz com feijão, com uma proteína, salada... Todas as vezes que a gente mistura o carboidrato com outra fonte alimentar, você reduz o índice glicêmico. A partir do momento que você está comendo um arroz com feijão, o índice glicêmico já é completamente diferente", completa.

O nutricionista explica que nenhum alimento sozinho tem a capacidade de fazer mal ou bem para uma pessoa, já que tudo depende de um contexto diário. 

"Se uma pessoa come duas porções de arroz por dia, calculadas dentro de um contexto, você não terá problema. Inclusive um diabético pode comer dentro de um plano alimentar.", diz.

Segundo ele, é muito melhor conseguir ter uma saciedade comendo aquilo que gosta do que desenvolver episódios de compulsão.

"Se a pessoa preferir substituir o arroz branco, o arroz integral é uma indicação muito boa. Temos também a batata-doce, batata inglesa, inhame e aipim como bons substitutos, tudo dentro de um contexto planejado", conta.

"Esse arroz branco que culturalmente faz parte da alimentação do brasileiro e de outros países, não tem problema nenhum em se comer contanto que esteja dentro do planejamento", conclui.

Redação Degusta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade