PUBLICIDADE

Saiba quando recorrer a uma dieta sem glúten

Cortar a substância da alimentação é recomendado apenas para celíacos. Saiba mais sobre a dieta sem glúten.

28 nov 2015 13h33
ver comentários
Publicidade

Você já deve ter visto, ao ler o rótulo de um produto no supermercado, o alerta "contém glúten". Direcionado especialmente a celíacos, pessoas com intolerância a essa proteína, o aviso também serve quem corta a substância da mesmo sem necessidade. Afinal, em quais casos a dieta sem glúten é necessária e quando optar por ela? Saiba mais a seguir.

 

Arroz é um grão que não contém glúten e pode ser consumido normalmente.
Arroz é um grão que não contém glúten e pode ser consumido normalmente.
Foto: Shutterstock / Vivo Mais Saudável

 

Glúten: Vilão para os celíacos

O glúten é uma proteína encontrada na semente de muitos cereais, como trigo, cevada e . De acordo com a nutricionista Adriana Pittelkow, as pessoas que precisam cortá-lo da alimentação são as que possuem dermatite herpetiforme, doença autoimune causada pela intolerância ao glúten. Alergia ao trigo e doença celíaca também exigem a restrição.

De acordo com a profissional, os celíacos têm intolerância permanente ao glúten e o único tratamento é a dieta isenta da substância por toda a vida. Caso o paciente consuma algo com glúten, ele pode ter uma reação imunológica no intestino delgado, que impede a absorção dos nutrientes.

“A pode ou não dar sintomas, mas o ideal é só mudar a alimentação depois de ter um diagnóstico definitivo”, explica a especialista.

No caso de um celíaco, a eliminação do glúten envolve a leitura detalhada de todos os rótulos de alimentos e até componentes de remédios ou batons. A ingestão, mesmo que pequena, de vestígios de glúten nesses produtos pode desencadear um processo infamatório grave.

Dieta sem glúten não serve para emagrecer

Segundo Adriana, O glúten se tornou uma espécie de vilão das dietas e da alimentação saudável. E ele está praticamente em todo lugar: pães, bolos, macarrão, bolachas, coxinhas, cerveja, uísque. “O que acontece é que, mesmo sem grande base científica, milhões de pessoas resolveram aboli-lo de seus cardápios”, destaca.

No entanto, não há nada errado com a proteína. O componente só é mesmo contraindicado para quem tem a doença celíaca. No caso das pessoas que eliminaram o glúten das refeições e emagreceram, a explicação é simples: a é normal para quem deixa de comer certo grupo de alimentos.

É o que acontece se deixamos de comer pães e massas, ricos em carboidratos. A diferença não é o glúten, e sim a mudança na ingestão calórica. “Se substituirmos esses alimentos refinados por integrais, também haverá redução de peso, embora eles contenham glúten”, explica.

 

Alimentos com trigo, cevada e aveia possuem glúten.
Alimentos com trigo, cevada e aveia possuem glúten.
Foto: iStock/Getty Images / Vivo Mais Saudável

 

Saiba mais sobre o glúten

O glúten é uma substância composta pela mistura das proteínas gliadina e glutenina, que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais, como trigo, cevada, centeio e aveia. Para algumas pessoas, a ingestão provoca danos na parede do intestino delgado, acarretando prejuízos para a saúde.

Qualquer receita ou produto alimentar que apresente na sua composição algum desses alimentos vai possuir glúten, “mesmo que em pequenas quantidades”, alerta Adriana.

Vivo Mais Saudável Vivo Mais Saudável, informação que faz bem.
Publicidade
Publicidade