0

'Outubro Rosa Pet': confira 5 principais dúvidas sobre câncer de mama em animais

Saiba quais são as formas de prevenção, tratamento e fatores de risco

30 out 2020
08h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Você sabia que o câncer de mama também atinge os animais? A campanha Outubro Rosa, sobre prevenção desse tipo de tumor, conscientiza para a importância do diagnóstico precoce da doença e não é diferente para os pets.

Cães e gatos também podem desenvolver câncer de mama e, nesses casos, os tutores possuem um papel importantíssimo na prevenção.

A doença em pets envolve fatores que costumam gerar algumas dúvidas. Alguns sintomas podem indicar a presença da doença, como falta de apetite, febre e vômitos.

"No dia a dia, é possível aproveitar os momentos de carinho para verificar se existe algum nódulo ou aumento de volume anormal. No entanto, é preciso ter em mente que nada substitui o diagnóstico de um profissional, por isso é muito importante que o pet visite o médico-veterinário e realize exames com frequência", afirma o veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet®.

A melhor forma de prevenir a ocorrência dos tumores de mamas em cadelas e gatas é com a castração. Apesar do câncer estar relacionado com questões genéticas, o procedimento pode diminuir a probabilidade do animal desenvolver a doença.

Qual o principal tratamento para a doença?

O principal tratamento é a remoção dos tumores por meio de cirurgia. Seja qual for o tipo de tumor, quanto antes for realizada a cirurgia para sua retirada, menor é o risco de reaparecimento da doença e maiores as chances de cura.

"Após a retirada, dependendo do tipo de tumor, o médico-veterinário pode indicar o uso de alguns medicamentos para complementar o tratamento e diminuir, mais ainda, a probabilidade de reincidência", explica Flavio Silva.

O que pode aumentar o risco da doença?

Anticoncepcionais, popularmente conhecidos como "injeções para não ter cio", comumente utilizados em gatas, aumentam muito o risco da ocorrência de tumores nas mamas, por isso, o uso é completamente contraindicado.

Machos também podem ter câncer de mama?

A doença é mais comum em fêmeas por causa da produção de hormônios como estrogênio e progesterona, mas também pode afetar os machos. Nesses casos, a incidência é menor, mas o cuidado preventivo com visitas frequentes ao veterinário deve ser o mesmo.

Por fim, vale ressaltar que doenças como o câncer são multifatoriais, mas uma rotina saudável e uma alimentação de qualidade ao longo da vida podem contribuir para a prevenção ou mesmo para uma melhor recuperação durante o tratamento. Por isso, sempre que possível, priorize alimentos nutritivos, balanceados e de alta qualidade para o seu pet.

Veja também:

Tender recheado de Natal
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade