PUBLICIDADE

Saiba como manter os ratos longe de sua residência

Os dois principais tipos de ratos urbanos são os camundongos e as ratazanas

18 dez 2013 07h00
| atualizado às 09h59
ver comentários
Publicidade

Ao contrário dos fofinhos Mickey, Jerry e Stuart Little, os ratos da vida real não são nem um pouco graciosos. E o pior é que, além de feios, eles representam riscos para a saúde humana. Por isso, é preciso ficar atento para mantê-los bem longe de casa. Veja a seguir algumas dicas de como fazer isso.

Os dois principais tipos de ratos urbanos são os camundongos e as ratazanas, explica Juliano Ribeiro, coordenador do Centro de Controle de Zoonoses de Curitiba. Destas duas espécies, a que oferece mais riscos para a saúde é a última, que pode transmitir uma série de doenças para o homem, incluindo leptospirose e febre tifoide.

“As ratazanas podem chegar a até 30 centímetros de comprimento, e se alimentam de qualquer coisa, desde ração de cachorro até lixo e fezes de outro animal. Por isso, é muito difícil lidar com elas”, afirma Ribeiro.

A melhor maneira de evitar que elas sejam atraídas para dentro de casa é armazenar corretamente os alimentos. Além disso, deve-se vedar bem as portas, colocando soleiras, se necessário, e manter as janelas fechadas ou protegidas por telas. Já o lixo precisa ser colocado em um lugar alto ou seguro, como um tambor.

“Evite manter entulho no quintal, que pode servir de abrigo para elas, e tampe os buracos existentes em muros. Para completar, prefira ralos fixos, que são abertos apenas com alavanca, e deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechada, para que elas não entrem por essas vias”, acrescenta.

Já os camundongos, apesar de representarem um risco menor para a saúde, apresentam o inconveniente de criar ninhos dentro da residência. Eles são bem menores, e seus esconderijos preferidos são dentro do forno ou do armário da despensa.

“A melhor arma contra eles são as ratoeiras, que devem ser colocadas em cantos ou junto às paredes. Venenos não funcionam, pois os camundongos comem muito pouco e não ingerem uma dose eficaz. No caso das ratazanas é o contrário. Elas são grandes demais para uma ratoeira, e o ideal é pedir ajuda profissional”, finaliza Ribeiro.

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade