0

Tarok volta aos planos da Volks devido à venda de picapes

Picape criada para ser a anti-Toro da Volkswagen ganha força nos planos por causa do ótimo desempenho do segmento durante a pandemia

19 out 2020
05h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Projeto da picape Tarok ganhou força na Volkswagen devido às vendas do segmento e ao desempenho do Gol
Projeto da picape Tarok ganhou força na Volkswagen devido às vendas do segmento e ao desempenho do Gol
Foto: VW / Divulgação

A picape Tarok, da Volkswagen, teve seu futuro ameaçado por causa da pandemia de coronavírus, mas informações de bastidores dão conta de que ela voltou com força aos planos da montadora alemã. O motivo seria a rápida recuperação das vendas da Fiat Toro, bem como o surpreendente desempenho da nova Fiat Strada na configuração Cabine Dupla. A Volkswagen Tarok utiliza a plataforma MQB, a mesma dos SUVs T-Cross e Taos, o que permite que ela tenha um porte intermediário entre esses dois carros.

O nome da picape não será Tarok, mas este é o nome do projeto. A Volkswagen apresentou a picape Tarok no Salão de São paulo de 2018. Trata-se de uma rival direta das picapes Fiat Toro e Renault Oroch, as únicas de porte compacto que usam carroceria monobloco. A Tarok não foi confirmada ainda porque faz parte do próximo ciclo de investimentos da Volkswagen (os últimos carros do ciclo atual foram o Nivus e o Taos), que inicialmente iria de 2021 a 2026. Vários fatores estão sendo considerados pela Volks.

Volkswagen Tarok precisará de versões com motor turbo diesel para brigar com a Fiat Toro.
Volkswagen Tarok precisará de versões com motor turbo diesel para brigar com a Fiat Toro.
Foto: VW / Divulgação

A Tarok pode roubar e frente da nova geração da família Gol/Voyage/Saveiro por dois motivos: primeiro, as boas vendas de picapes durante a pandemia; segundo, as boas vendas do próprio Gol, mesmo com um projeto defasado. Aparentemente, o Gol pode esperar, pois grande parte do público passou a procurar carros acessíveis para fugir de aglomerações em ônibus e metrôs. O tradicional hatchback é uma das poucas opções do mercado. Quanto às picapes, a Fiat Toro vendeu 5.580 unidades em setembro deste ano, patamar quase idêntico ao registrado em setembro do ano passado (5.697). No acumulado do ano, a Toro já tem 34,4 mil emplacamentos (em 2019 eram 45,9 mil).

Os planos para a Tarok ser a anti-Toro da Volks incluem duas versões de motor: 1.4 turbo flex de 150 cv e 250 Nm (o mesmo do T-Cross e do Taos) com tração 4x2 e até um 2.0 turbo diesel com tração 4x4. A Volkswagen utiliza duas configurações de motores a diesel na Amarok (de porte maior do que a futura Tarok): um de 140 cv (3.500 rpm) e 340 Nm (1.600-2.250 rpm) e outro de 180 cv (4.000 rpm) e 400 Nm (1.500-2.250). A Volkswagen sabe que precisará de um motor a diesel e tração 4x4 para a Tarok porque o segredo do sucesso da Fiat Toro está exatamente nesta configuração, com motor 2.0 turbo diesel de 170 cv (3.750 rpm) e 350 Nm (1.750 rpm).

Tarok usa a mesma plataforma MQB dos SUVs T-Cross e Taos e tem planos para ser produzida na Argentina.
Tarok usa a mesma plataforma MQB dos SUVs T-Cross e Taos e tem planos para ser produzida na Argentina.
Foto: VW / Divulgação

Em termos de transmissão, a Volks tem utilizado o câmbio automático de seis marchas para a os modelos turbo flex da plataforma MQB. Já a Amarok 2.0 turbo diesel utiliza um câmbio automático de oito marchas. Na Toro, as transmissões são de seis marchas com motor flex e de nove marchas com motor a diesel. Se realmente for confirmada pela Volkswagen, como tudo indica, a Tarok será produzida na fábrica de General Pacheco, na Argentina. 

 

Veja também:

Arrizo 6, o sedã chinês que conquista pelo conforto
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade