PUBLICIDADE

Viúvo de Walewska pede que ex-sogra pague dívida

Em um documento jurídico obtido pelo UOL, há uma solicitação, feita pelo advogado do viúvo, de quitação de um imóvel do centro de São Paulo, no valor de R$ 24 mil

1 dez 2023 - 21h34
(atualizado às 21h46)
Compartilhar
Exibir comentários

Ricardo Alexandre Mendes, viúvo da jogadora de vôlei Walewska de Oliveira, morta após cair do 17º andar do prédio onde morava, declarou o desejo de que a mãe da atleta, Maria Aparecida Moreira, arque com as parcelas restantes do financiamento de um imóvel em nome da empresa WM Serviços Esportivos Ltda.

(
(
Foto: Instagram/Reprodução / Perfil Brasil

Em um documento jurídico obtido pelo UOL, há uma solicitação, feita pelo advogado do viúvo, de quitação de um imóvel do centro de São Paulo, no valor de R$ 24 mil, sob a alegação de que a mãe da jogadora consta como sócia da empresa dona da propriedade. Walewska e Ricardo moravam em outro apartamento no mesmo prédio, enquanto dividiam o financiamento do imóvel em questão.

"Considerando que o imóvel citado consta registrado na empresa WV Serviços Esportivos, tendo a genitora de Waleswka sócia da empresa em cotas iguais de 50%, solicitamos a necessidade do pagamento da prestação do financiamento do imóvel, com vencimento em 30 de outubro", afirma o documento. Há também uma dívida de cerca de R$ 37 mil em taxas de condomínio atrasadas, além das novas parcelas do financiamento.

Inventário

Esta não é a primeira disputa legal entre Ricardo e a família de Walewska. A jogadora morreu sem deixar um testamento e, segundo a lei, o marido da atleta se tornou o inventariante do patrimônio de mais de R$ 25 milhões, incluindo apartamentos e salas de luxo em São Paulo e diversas cidades de Minas Gerais.

A família, porém, alega que uma crise no casamento, que durava mais de cinco anos, e a descoberta de uma traição do marido contribuíram para o estado mental da jogadora e sua eventual morte. "Ricardo, companheiro por 20 anos de Walewska, não reconheceu o corpo, deixou documentos e pertences de sua esposa na recepção do prédio para serem recolhidos por familiares, não contribuiu financeiramente ou de forma prática para os trâmites do velório e enterro, negligenciou apoio à família, mas foi bastante rápido e assertivo em solicitar a abertura do inventário e sua habilitação com inventariante", afirmou o advogado da família de Walewska ao ingressar com um processo judicial para a exclusão de Ricardo do inventário.

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Publicidade