PUBLICIDADE

Terceirização de CME é tendência em hospitais de todo o mundo

O bom desempenho das Centrais de Materiais e Esterilização (CMEs) tem sido estratégico para que hospitais ofereçam procedimentos e cirurgias com mais eficiência e segurança. O desempenho da CME impacta todas as áreas do hospital.

2 jun 2021 16h42
ver comentários
Publicidade

Segundo um recente publicado pela consultoria Frost & Sullivan, a terceirização das Centrais de Materiais e Esterilização é uma tendência que vem sendo adotada em larga escala nos Estados Unidos (EUA) e na Europa Ocidental.

Foto: Canva Pro / DINO

Segundo previsão da Frost & Sullivan, até 2022, até 45% das Unidades de Saúde nos EUA, Reino Unido, Itália, Alemanha e França optarão por terceirizar a gestão de suas CMEs. Segundo o estudo, a falta de conhecimento do departamento cirúrgico sobre a qualidade e benefícios da terceirização ainda é entrave para uma maior adoção do modelo.

No Brasil, a Resolução da Anvisa - RDC Nº 15, de 15 de março de 2012, dispõe sobre requisitos de boas práticas para o reprocessamento de produtos para saúde. O objetivo da legislação de reprocessamento dos produtos para a saúde é a garantia de um serviço de qualidade, robusto e seguro. Além de regulamentar a CME, a legislação da Anvisa autoriza que empresas reprocessadoras façam a gestão das CMEs. 

"Pelo mundo afora, as exigências regulatórias e a busca pela eficiência têm colocado as CMEs no epicentro da produção hospitalar, isso levou o setor a buscar novos conhecimentos, métodos e tecnologias capazes de aumentar a capacidade de esterilização e produtividade, além de reduzir significativamente os riscos, o tempo de reprocessamento e os gastos operacionais", explica Diego Pinto, CEO da Bioxxi.

Empresas buscam focar na sua atividade-fim para aumentar a produtividade e eficiência. Mas, acabam deixando de investir em inovação das suas atividades-meio. Isso contribui para que empresas terceirizem suas atividades-meio.

"A esterilização dos produtos para a saúde impacta em quase todos os serviços que o hospital oferece, no entanto a esterilização não é a atividade-fim do hospital. É por isso que os hospitais contratam empresas como a Bioxxi", explica Rose Macário, responsável pelos assuntos regulatórios na Bioxxi.

A legislação do reprocessamento está cada vez mais exigente e o mercado de reprocessamento está em crescimento, investindo cada vez mais em novas tecnologias e processos, no entanto a falta de conhecimento sobre os benefícios da terceirização da CME é o principal motivo pela qual os hospitais não realizam terceirizações.



Website: https://bioxxi.com.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade