0

Scoo estreia serviço de patinetes em estações da Linha 4-Amarela

Empresa poderá também oferecer bicicletas na Paulista, Oscar Freire, Fradique Coutinho e Faria Lima; cobrança será de R$ 4,30 pelos primeiros 15 minutos de uso

18 dez 2019
05h15
  • separator
  • 0
  • comentários

A startup brasileira de patinetes elétricos Scoo inicia nesta quarta-feira, 18, uma operação em quatro estações da Linha 4 - Amarela do Metrô de São Paulo. O projeto, feito em parceria com a ViaQuatro, que administra a Linha 4 - Amarela, contempla as estações Paulista, Oscar Freire, Fradique Coutinho e Faria Lima. Focada em clientes corporativos, essa é a primeira vez que a Scoo volta a oferecer equipamentos para o usuário final desde testes realizados pela empresa na região da Avenida Paulista em 2018.

A expectativa é estender a operação para todas as estações da linha amarela em 2020 - a companhia também assinou contrato com a ViaMobilidade para operar na Linha 5 - Lilás a partir do primeiro trimestre do ano que vem. A região escolhida para o início da operação na linha amarela tem disputa intensa no segmento: o território já é ocupado por patinetes da Grow, que administra as marcas Grin e Yellow, e da Lime, gigante global do setor.

"As demais empresas de mobilidade não podem oferecer a patinete ou bicicleta nas áreas internas das estações. Essa parceria proporcionará ao usuário mais comodidade ao alugar um desses modais no espaço da estação próximo às saídas", diz ao Estado Denis Lopardo, presidente executivo da Scoo.

Além das bases nas estações de metrô, consideradas primárias, a operação terá outras bases espalhadas próximas à região, instaladas em edifícios comerciais, restaurantes, parques e estacionamentos. O preço cobrado pela empresa será de R$ 4,30 pelos primeiros 15 minutos e R$ 0,45 por minutos adicionais - o valor será o mais baixo por corridas acima de três minutos e o mais caro para corridas abaixo disso. A Yellow/Grin tem taxa de desbloqueio de R$ 3 mais R$ 0,50 por minuto rodado. Os valores da Lime são R$ 2,25 (desbloqueio) e R$ 0,75 (minuto rodado).

Uma das ideia da Scoo é transformar os patinetes em plataformas de publicidade. "Temos sido bastante acessados por empresas interessadas em patrocinar essa frota de expansão, o que deve ocorrer de forma natural. É o lançamento de um novo canal de mídia disruptivo e inovador", diz Lopardo. O modelo de negócios da Scoo envolve parcerias com outras empresas - ela nunca opera diretamente no segmento do consumidor final.

A parceria mais conhecida da Scoo é com o iFood. Para a startup de entregas, ela oferece equipamentos e suporte para a operação. Juntas desde 2018, elas já realizaram 60 mil corridas por meio de 150 patinetes elétricos.

Na parceria com ViaQuatro e ViaMobilidade, a Scoo também prevê a oferta de bicicletas e bicicletas elétricas. No primeiro estágio de operação da linha amarela, as bicicletas tradicionais deverão estar disponíveis a partir do próximo mês.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade