3 eventos ao vivo

Com produtos 100% vegetais, startup NotCo abre restaurante delivery em SP

Em formato delivery, o Why Not tem parceria com o iFood e terá cardápio de hambúrgueres com produtos da marca

13 jul 2020
17h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Voltada para produtos alimentícios de origem 100% vegetal, a startup NotCo está lançando seu primeiro restaurante de comidas à base de planta e criadas por algoritmo. Previsto para funcionar a partir da próxima quarta-feira, 15, aceitando pedidos no iFood, o estabelecimento marcará a estreia do hambúrguer vegetal NotBurger, novo produto da empresa, que opera desde 2019 no Brasil.

No ano passado, a chilena lançou por aqui também produtos como sorvete, maionese e leite de origem 100% vegetal. Todos os produtos foram criados pelo Giuseppe, o algoritmo da empresa que processa informações de alimentos para criar novas receitas. No cardápio do Why Not, receitas criadas por algoritmos vão dividir espaço com criações de chefs de cozinha, escolhidas por um concurso realizado pela marca.

Luiz Augusto Silva, presidente da NotCo no Brasil, conta que a ideia do restaurante delivery surgiu na pandemia, como uma forma alternativa de levar os produtos aos clientes por meio de pratos já preparados.

"Nós queremos fazer com que as pessoas tivessem uma experimentação mais ampla do nosso produto e pensamos em fazer isso por meio de um restaurante virtual. Antes da pandemia, a gente imaginava que seria apenas um fornecedor de insumos para restaurantes, mas com o fechamento desses locais isso se tornou inviável. Começamos a pensar o que poderia ser feito a partir daí e surgiu a ideia do Why Not", afirmou Silva em entrevista ao Estadão.

Dona de produtos já lançados no mercado, como o Not Milk, Not Ice Cream e Not Mayo, a NotCo abriu espaço para que chefs de cozinha que perderam o emprego por conta da pandemia de coronavírus também pudessem desenvolver hambúrgueres a serem comercializados no restaurante, na campanha chamada Menu Compartilhado.

Os vencedores vão receber R$ 3 mil pela autoria da receita e o lucro das vendas do seu sanduíche. A cada semana, duas criações vão estar disponíveis no menu do Why Not e os interessados em ter uma receita preparada e vendida por uma semana pelo restaurante. A empresa não informou o preço médio dos pratos do menu.

Segundo Silva, o restaurante vai funcionar apenas na plataforma digital e vai estar aberto para almoço e jantar. A entrega, por enquanto, também será limitada: apenas em um raio de aproximadamente seis quilômetros da cozinha, que fica em Perdizes, bairro da zona oeste de São Paulo. A intenção, porém, é expandir a abrangência assim que for possível, e um restaurante com serviço presencial também não é descartado pela empresa no pós pandemia.

"Do ponto de vista da logística é um desafio cobrir a cidade de São Paulo inteira. Nós pensamos na loja física, mas hoje nós precisamos esperar evoluir um pouco mais, acompanhar como a cidade de São Paulo reabre. Como lógica isso faz sentido", explica.

Estrela do restaurante, o NotBurger é mais um produto criado pela marca 100% a base de plantas, que visa ter a mesma consistência e sabor que um produto de origem animal, informou a empresa. No Why Not, o NotBurger será preparado artesanalmente e, de acordo com Silva, deve chegar ao mercado em breve, nos próximos meses.

*É estagiária, sob supervisão do editor Bruno Capelas

Veja também:

Startup cria algoritmo que detecta covid-19 com raio-x
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade