PUBLICIDADE

RS construirá "cidades temporárias" para acolher vítimas das enchentes

Governo do Estado anuncia plano para auxiliar desabrigados

18 mai 2024 - 10h57
(atualizado às 11h06)
Compartilhar
Exibir comentários

Diante da situação de emergência causada pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o governo do estado apresentou nesta sexta-feira (17) um plano para acolher as vítimas. A proposta prevê a criação de "cidades temporárias" em quatro municípios da região metropolitana de Porto Alegre: Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Guaíba.

Concentração de esforços para auxiliar os mais necessitados

As "cidades temporárias" visam oferecer abrigo digno e seguro para as famílias que perderam suas casas com as chuvas. Estima-se que aproximadamente 80 mil pessoas estejam desabrigadas no estado, com maior concentração nos municípios mencionados.

Infraestrutura completa para garantir o bem-estar das vítimas

As estruturas das cidades temporárias oferecerão diversos serviços essenciais, como:

  • Administração
  • Almoxarifado
  • Postos de saúde
  • Brinquedotecas
  • Espaço para animais de estimação
  • Chuveiros e banheiros
  • Triagem de entrada e saída
  • Assistência social

Localização estratégica e agilidade na instalação

As áreas para instalação das cidades temporárias ainda estão sendo definidas em conjunto com as prefeituras. As estruturas terão capacidade para acomodar entre 900 e 1 mil pessoas cada, e a previsão é que a montagem seja concluída em até 20 dias após a assinatura do contrato com o fornecedor.

Ampliação do plano de apoio às vítimas

Além das cidades temporárias, o governo do estado também planeja oferecer outras medidas de apoio às vítimas das enchentes, como:

  • Aluguel social
  • Criação de abrigos temporários com apoio de instituições internacionais
  • Construção de áreas com casas definitivas
Foto: Gilvan Rocha/ Agência Brasil / Porto Alegre 24 horas
Porto Alegre 24 horas
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade