PUBLICIDADE

"Qualquer um que ouve hip hop é burro", dispara Ed Motta

Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o artista afirmou que pessoas inteligentes ouvem jazz e música clássica

13 jun 2024 - 22h24
Compartilhar
Exibir comentários

O cantor Ed Motta se envolveu em mais uma polêmica. Desta vez, enquanto fazia uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, afirmou que qualquer pessoa que gostasse de ouvir hip-hop seria burro. Motta ainda acrescentou que para ele, quem é inteligente ouve jazz e música clássica.

Ed Motta afirma que representa o mais sofisticado de sua raça
Ed Motta afirma que representa o mais sofisticado de sua raça
Foto: Reprodução/ Instagram / Perfil Brasil

"Eu não sou branco. Eu sou preto. Mas eu represento o que a raça tem de mais sofisticada. É burro, qualquer um que ouve hip hop é burro. Qualquer um, sem exceção. O que alguém inteligente ouve? Jazz, música clássica", afirmou. A fala foi proferida nesta quarta-feira (12).

Além de criticar o gênero musical, o cantor também disparou contra o humorista Rafinha Bastos, o chamando de bobalhão e imbecil. "Outro dia, eu vi um trecho de uma entrevista desse Rafinha Bastos: 'Ah, porque hip hop é o tipo de música que eu mais gosto de ouvir'. O cara é um imbecil", disse.

Nas redes sociais, artistas, militantes e apreciadores do hip-hop se manifestaram contra a fala de Ed Motta, afirmando que ele estaria desprezando um ritmo musical rico e extremamente importante. "O hip-hop salva vidas, ele é um movimento que ressocializa vários jovens. Você tinha que ter vergonha", afirmou o rapper Major RD.

Thiago Alves de Souz, conhecido como Mc Thiagson, é professor de música, ficou popular nas redes ao fazer vídeos desbancando mentiras sobre as canções de origem periférica e criticou o posicionamento de Ed Motta. Para ele, a fala do cantor é de cunho racista. "Uma das características de tudo aquilo que é produzido pelo hip-hop é a consciência racial. Antes de dizer que todos que ouvem são burros, ele diz 'Eu sou preto, mas'. Essa palavra é indício de uma concepção racista no campo da música, que foi assimilada pelo artista, mesmo sendo preto", afirmou.

Vinicius Santana, filósofo, professor e pesquisador no campo de estudos raciais, por sua vez, disse que este posicionamento diminui a cultura periférica e repercute ideais racistas. "É lamentável ver um músico negro, sobrinho do Tim Maia e um dos artistas que mais foram sampleados dos Racionais Mc's reproduzir um tipo de fala que inferioriza uma cultura negra que salvou e continua salvando tantas vidas como o hip-hop".

Outras polêmicas de Ed Motta

Esta não é a primeira vez que o artista se envolveu em uma polêmica. Em 2022, Ed Motta já havia criticado o cantor Raul Seixas e seus fãs, dizendo que ele seria um músico sem talento. "Esse cara é um idiota. Um funcionariozinho de gravadora, gravando uns discos de m*rda". Ainda falou dos fãs do cantor de "Metamorfose Ambulante": "E nego vem com 'Toca, Raul!'", disparou durante transmissão ao vivo em suas redes.

Ainda em 2017, ele também demonstrou desgosto de cantores, desta vez Ivete Sangalo e o rapper Criolo. Naquele ano, a empresa Nivea realizou um festival para homenagear Tim Maia e chamou os dois para fazer novas versões de suas músicas. Ed Motta achou a decisão incabível, dizendo que as músicas de Maia são "intocáveis". "Mais do que sacanagem, é um desrespeito por gente que dedicou a vida inteira a isso. Vontade de vomitar, que coisa podre."

Já em 2015, ele também fez críticas ao povo brasileiro no geral e a seus gostos musicais. Para o cantor, o público europeu era muito mais agradável, já que eles seriam mais cultos e informados. "Meu público brasileiro de verdade, na Europa, nunca gritariam nada. No Brasil tem um público de sertanejo, axé, pagode, que vem beber cerveja barata com camiseta apertada tipo jogador de futebol, com aquele relógio branco, e começa gritar nome de time", afirmou.

 * Sob supervisão de Lilian Coelho

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade