0

Por que o Dia dos Namorados é em junho no Brasil e em fevereiro no resto do mundo?

Qual a origem do Dia dos Namorados? A comemoração no Brasil, em 12 de junho, é em uma data diferente de outros países, que celebram o chamado Valentine's Day.

12 jun 2019
10h13
atualizado em 4/7/2019 às 18h20
  • separator
  • 0
  • comentários

Qual é a origem do Dia dos Namorados no Brasil? Enquanto os Estados Unidos e a Europa comemoram o chamado "Valentine's Day" (ou Dia de São Valentim), em 14 de fevereiro, por aqui, o feriado do romance é celebrado em 12 de junho desde 1948.

O Dia dos Namorados é comemorado em 12 de junho no Brasil
O Dia dos Namorados é comemorado em 12 de junho no Brasil
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

E o motivo é exclusivamente comercial.

A ideia de estabelecer a comemoração veio do publicitário João Doria, pai do ex-prefeito de São Paulo João Doria Jr. Dono da agência Standart Propaganda, ele foi contratado pela loja Exposição Clipper com o objetivo de melhorar o resultado das vendas em junho, que sempre eram muito fracas.

Inspirado pelo sucesso do Dia das Mães, Doria instituiu outra data para trocar presentes no ano: o Dia dos Namorados.

Outros países celebram a data em fevereiro
Outros países celebram a data em fevereiro
Foto: AFP / BBC News Brasil

Junho foi escolhido porque era justamente o mês de desaquecimento das vendas. O dia 12 foi escolhido por ser véspera da celebração de Santo Antônio, que já era famoso no Brasil por ser o santo casamenteiro.

Unindo, então, o útil ao agradável, Doria criou a primeira propaganda que instituiria a data no país.

"Não é só com beijos que se prova o amor!", dizia um slogan do primeiro Dia dos Namorados brasileiro. "Não se esqueçam: amor com amor se paga", afirmava outro. A propaganda foi julgada a melhor do ano pela Associação Paulista de Propaganda à época.

Slogan de propaganda do Dia dos Namorados criada por João Doria
Slogan de propaganda do Dia dos Namorados criada por João Doria
Foto: Texto de João Doria, arte de Fritz Lessin / BBC News Brasil

A data começou a "pegar" no Brasil no ano seguinte, quando mais regiões começaram a aderir - posteriormente, a comemoração se tornou nacional.

Consumidor cauteloso

Atualmente, o Dia dos Namorados já é a terceira melhor data para o comércio no país - atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. A média do faturamento do dia romântico já chega perto de R$ 1,5 bilhão.

Mas, segundo previsão da Fecomercio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), o consumidor paulistano não pretende gastar muito com o presente do Dia dos Namorados em 2019.

O crescimento em relação a junho de 2018 será apenas de 3% em São Paulo, segundo informou à Agência Brasil Guilherme Dietze, assessor econômico da Fecomércio SP.

"Vai ser o Dia dos Namorados da lembrancinha", resumiu, explicando que a alta taxa de desemprego, a baixa oferta de crédito e a inflação sobre bebidas e alimentos prejudicou o poder de compra dos casais brasileiros.

Com o incentivo à troca de presentes entre namorados, a data ajudou a aumentar as vendas do comércio em junho
Com o incentivo à troca de presentes entre namorados, a data ajudou a aumentar as vendas do comércio em junho
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Dia de São Valentim

A origem do Valentine's Day (Dia de São Valentim), celebrado nos Estados Unidos e na Europa, é muito anterior ao Dia dos Namorados no Brasil. A data começou a ser celebrada no século 5.

Há algumas explicações para a história, mas a mais famosa é a de que São Valentim era um padre de Roma que foi condenado à pena de morte no século 3.

Segundo esse relato, o imperador Claudio 2 baniu os casamentos naquele século por acreditar que homens casados se tornavam soldados piores - a ideia dele era de que solteiros, sem qualquer responsabilidade familiar, poderiam render melhor no exército.

Valentim, porém, defendeu que o casamento era parte do plano de Deus e dava sentido ao mundo. Por isso, ele passou a quebrar a lei e organizar cerimônias em segredo.

No Brasil, Santo Antônio é mais famoso como casamenteiro do que São Valentim
No Brasil, Santo Antônio é mais famoso como casamenteiro do que São Valentim
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Quando o imperador descobriu, o padre foi preso e sentenciado à morte no ano 270 d.C.

Mas, durante o período em que ficou preso, Valentim se apaixonou pela filha de um carcereiro. No dia do cumprimento da sentença, ele enviou uma carta de amor à moça assinando "do seu Valentim" - o que originou a prática moderna de enviar cartões para a pessoa amada no dia 14 de fevereiro.

Foi apenas dois séculos depois que a data passou a ser efetivamente comemorada, quando o papa Gelásio instituiu o Dia de São Valentim, classificando-o como símbolo dos namorados.

A comemoração foi criada quando a Igreja transformou em festa cristã uma antiga tradição pagã - um festival romano de três dias chamado Lupercalia. O evento, ocorrido no meio de fevereiro, celebrava a fertilidade. Seu objetivo era marcar o início oficial da primavera.

Dia de São Valentim é famoso até mesmo em alguns países muçulmanos - onde gera polêmica e protestos, muitas vezes
Dia de São Valentim é famoso até mesmo em alguns países muçulmanos - onde gera polêmica e protestos, muitas vezes
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Mas há ao menos outras duas figuras históricas que disputaram o título de São Valentim associado a essa data. Uma delas é um bispo de uma cidade próxima a Roma - na região da atual Terni - e a outra, um mártir do norte da África. Como não se sabe muito sobre essas duas outras figuras, o padre de Roma acabou se tornando o mais conhecido dos padroeiros dos namorados.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade