2 eventos ao vivo

Reino Unido acha 77 casos de variante africana e 9 do Brasil

O Reino Unido tem o maior número de mortos na Europa em razão da covid-19, perto de 100.000

24 jan 2021
12h18
atualizado às 13h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Reino Unido detectou 77 casos da variante sul-africana da covid-19, disse o ministro da Saúde neste domingo, também pedindo às pessoas que sigam estritamente as regras de lockdown como a melhor precaução contra a variante britânica potencialmente mais mortal.

Paramédicos transferem paciente em meio a surto de coronavírus. Londres, Reino Unido. 23/01/2021. REUTERS/Henry Nicholls
Paramédicos transferem paciente em meio a surto de coronavírus. Londres, Reino Unido. 23/01/2021. REUTERS/Henry Nicholls
Foto: Reuters

Matt Hancock disse que todos os 77 casos foram relacionados a viagens da África do Sul e estão sob observação, assim como os nove casos identificados de uma variante brasileira.

"Eles estão sendo monitorados muito de perto e aprimoramos o rastreamento de contatos para fazer tudo o que pudermos para impedir que se espalhem", disse durante uma entrevista à BBC.

O professor Anthony Harnden, de Oxford, vice-presidente de um comitê científico sobre vacinação que assessora o governo, disse que as variantes sul-africana e brasileira eram motivo de preocupação porque as vacinas contra o coronavírus podem não ser eficazes contra elas.

"As novas variantes no exterior são uma preocupação real. Na África do Sul e na Amazônia brasileira, há indícios de que haverá escape da vacina", disse ele à Sky News, acrescentando que novas variantes continuarão aparecendo em todo o mundo.

O Reino Unido tem o maior número de mortos na Europa em razão da covid-19, perto de 100.000, e esteve em lockdown pela maior parte de janeiro com hospitais lutando para lidar com um número recorde de pacientes gravemente enfermos.

O governo atribuiu as altas taxas de transmissão que o levaram a impor o lockdown em parte a uma variante altamente contagiosa identificada inicialmente no sudeste da Inglaterra e agora predominante em muitas áreas.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse na sexta-feira que a variante inglesa pode estar associada a um nível mais alto de mortalidade, embora os cientistas tenham dito que as evidências sobre isso permanecem incertas, uma mensagem que Hancock enfatizou no domingo.

"Os cientistas acham que pode ser mais mortal, e eles colocaram várias estimativas de cerca de 10% mais mortal a um pouco mais do que isso, não temos certeza de quão mais mortal", disse ele na

.

"De certa forma, para todos nós, isso não importa, o que importa é que temos que controlar o vírus e a única maneira de fazer isso é interrompendo o contato social e seguindo as regras", disse ele.

Veja também:

O menino cego de 9 anos que dá aula em escola destruída pela guerra no Iêmen
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade