1 evento ao vivo

Johnson 'não quer acordo', diz chefe do Conselho Europeu

Donald Tusk cobrou o premier britânico publicamente

8 out 2019
10h26
atualizado às 10h32
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, acusou nesta terça-feira (8) o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de não querer um acordo para retirar o país da União Europeia.

Donald Tusk e Boris Johnson durante cúpula do G7 em Biarritz, na França
Donald Tusk e Boris Johnson durante cúpula do G7 em Biarritz, na França
Foto: EPA / Ansa - Brasil

As declarações foram dadas em meio às negociações sobre a última proposta apresentada pelo premier, que ainda não convence Bruxelas. "O que está em disputa não é vencer um estúpido jogo de culpas.

O que está em jogo é o futuro da Europa e do Reino Unido, assim como a segurança e os interesses de nossos povos. Você não quer um acordo, não quer uma extensão [do prazo do Brexit], não quer revogar. Aonde você está indo?", disse Tusk no Twitter, em mensagem endereçada a Johnson.

Já o primeiro-ministro rebateu que prefere sair da União Europeia com um acordo, mas que o país está pronto para um eventual rompimento abrupto em 31 de outubro. Segundo a rede BBC, Johnson conversou por telefone com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que teria dito que a hipótese de um acordo com a UE é "enormemente improvável".

Proposta

O plano de Johnson para o Brexit prevê que todo o Reino Unido saia da UE e da união aduaneira europeia no fim de 2021, quando terminar o período de transição, mas que a Irlanda do Norte permaneça no mercado único para bens agrícolas e industriais ao menos até 2025.

Após esse período, Londres daria ao Parlamento da Irlanda do Norte a tarefa de definir sua futura relação com a União Europeia e a Irlanda. Por outro lado, a proposta de Johnson estabelece a instituição de controles aduaneiros entre as Irlandas, mas não na linha de fronteira, que deve permanecer sem barreiras para respeitar o acordo de paz do fim dos anos 1990.

A proposta é uma alternativa ao "backstop", mecanismo que prevê que a Irlanda do Norte e a República da Irlanda mantenham fronteiras abertas caso Londres e Bruxelas não consigam fechar um acordo comercial durante o período de transição do Brexit.

Johnson considera esse sistema "incompatível com a soberania do Reino Unido", uma vez que ele poderia criar uma fronteira dentro do país. O primeiro-ministro já disse que a única alternativa à sua proposta é um Brexit sem acordo.

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade