0

G-20 se compromete a garantir acesso global e justo à vacina

A pandemia do coronavírus e as perspectivas de uma recuperação econômica desigual e incerta estiveram no centro do encontro

22 nov 2020
14h58
atualizado às 15h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Os líderes das 20 maiores economias do planeta prometeram neste domingo não poupar esforços para fornecer medicamentos, testes e vacinas contra covid-19 de maneira acessível e justa para "todas as pessoas", refletindo as preocupações de que a pandemia possa aprofundar as divisões globais entre ricos e pobres.

Ampolas da vacina russa Sputnik-V contra covid-19
12/10/2020
REUTERS/Tatyana Makeyeva
Ampolas da vacina russa Sputnik-V contra covid-19 12/10/2020 REUTERS/Tatyana Makeyeva
Foto: Reuters

A pandemia do coronavírus e as perspectivas de uma recuperação econômica desigual e incerta estiveram no centro do encontro com duração de dois dias sob a presidência da Arábia Saudita, que passará o comando do G-20 à Itália no próximo mês.

"A pandemia de covid-19 e seu impacto sem precedentes em termos de vidas perdidas, meios de subsistência e economias afetadas, foram um choque sem paralelo que revelou vulnerabilidades em nossa preparação e resposta, ressaltando nossos desafios comuns", disse o comunicado final do encontro.

As nações do G-20 trabalharão para "proteger vidas, fornecer apoio com foco especial nos mais vulneráveis e colocar nossas economias de volta no caminho para restaurar o crescimento e proteger e criar empregos para todos".

Sobre vacinas, testes e tratamentos, os líderes disseram: "Não pouparemos esforços para garantir o acesso equitativo e acessível para todas as pessoas".

A economia mundial sofreu forte contração este ano pois as medidas para conter a disseminação do vírus restringiram o transporte, o comércio e a demanda em todo o planeta.

Os líderes do G-20 disseram que a atividade econômica global aumentou parcialmente graças à reabertura gradual de algumas economias, mas a recuperação é desigual, altamente incerta e sujeita a riscos de queda.

Eles reafirmaram o compromisso de usar "todas as ferramentas políticas disponíveis, pelo tempo que for necessário" para proteger a vida, o emprego e a renda das pessoas.

CONGELAMENTO DE DÍVIDA

O G20 endossou um plano para estender o congelamento dos pagamentos de dívida dos países mais pobres até meados de 2021 e, além disso, uma abordagem comum para lidar com os problemas de dívida, de acordo com o comunicado.

Os países também disseram que incentivam fortemente os credores privados a participarem da iniciativa em termos comparáveis quando solicitados pelos países elegíveis.

A iniciativa de alívio de dívida do G20 ajudou 46 países a postergar 5,7 bilhões de dólares em pagamentos de dívida em 2020. Mas 73 países eram elegíveis para a medida e a promessa era de um alívio potencial de cerca de 12 bilhões de dólares.

Veja também:

O jovem que trocou seu piano por uma arma e desapareceu na guerra
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade