PUBLICIDADE

Turquia prende espião que ajudou britânicas a se unirem a EI

Ministro assinalou que esse agente detido "não era dos Estados Unidos nem de um país membro da União Europeia"

12 mar 2015 12h41
| atualizado às 16h40
ver comentários
Publicidade
<p>Espião está colaborando com os serviços secretos de países da coalizão internacional contra os jihadistas</p>
Espião está colaborando com os serviços secretos de países da coalizão internacional contra os jihadistas
Foto: Getty Images

O governo da Turquia anunciou nesta quinta-feira que deteve uma pessoa que ajudou as três adolescentes britânicas desaparecidas em fevereiro a se unirem ao grupo Estado Islâmico (EI) e afirmou que ele está colaborando com os serviços secretos de países da coalizão internacional contra os jihadistas.

"A Inglaterra nos avisou vários dias depois que três meninas tinham saído do país para se unirem ao EI. Mas sabem quem ajudou estas meninas? Foi detido. Era alguém que trabalhava com os serviços secretos de um dos países da Coalizão", assinalou o ministro turco das Relações Exteriores, Mevlüt Çavusoglu.

Câmeras flagram suspeita de ataque em Paris na Turquia:

O ministro assinalou que esse agente detido "não era dos Estados Unidos nem de um país membro da União Europeia", mas reiterou que trabalhava com os serviços secretos de um Estado da coalizão antijihadista.

Na Coalizão, liderada pelos EUA, estão também vários membros da UE, Austrália e a própria Turquia, assim como meia dúzia de países árabes, entre eles Arábia Saudita, Catar, Emirados e Jordânia.

Desvendando o Estado Islâmico Desvendando o Estado Islâmico

Shamina Begum, de 15 anos; Kazida Sultana, de 16; e Amira Abase, de 15, foram vistas por suas famílias pela última vez em 17 de fevereiro, quando fugiram de suas casas em Londres para embarcar em um voo da companhia Turkish Airlines para Istambul.

EFE   
Publicidade
Publicidade