PUBLICIDADE

Protestos marcam reforma constitucional na Ucrânia

31 ago 2015 07h29
| atualizado às 09h24
ver comentários
Publicidade

A Rada Suprema (parlamento) da Ucrânia aprovou nesta segunda-feira em primeira leitura um projeto de reforma constitucional sobre a descentralização do país, contemplada nos acordos de Minsk para regular o conflito nas regiões orientais ucranianas de Donetsk e Lugansk.

Foto: EFE

A favor das remodelações votaram 265 deputados, 39 a mais do que o número necessário para a aprovação.

Embora as emendas, propostas pelo presidente Petro Poroshenko, não incluam a concessão de um status especial às zonas controladas pelas milícias separatistas pró-russas, os setores nacionalistas as consideram uma concessão inaceitável aos rebeldes.

A sessão parlamentar transcorreu em meio aos protestos de centenas de manifestantes que se congregaram nas imediações da Rada para expressar repúdio às remodelações constitucionais.

O motivo dos protestos é a disposição transitória sobre um "regime especial de autogoverno em determinadas zonas das regiões de Donetsk e Lugansk", inaceitável pelos nacionalistas radicais.

O projeto de emendas foi rejeitado pelos líderes das autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, que afirmam que as zonas sob seu controle devem ter um "status especial" regulado por leis pactuadas com eles.

O presidente do parlamento, Vladimir Groisman, recalcou que a aprovação em primeira leitura das emendas constitucionais é só o começo de um debate que se prolongará durante vários meses antes de sua adoção definitiva, que necessita de uma maioria parlamentar qualificada de dois terços.

Tailândia emite novas ordens de detenção por atentado:

 

EFE   
Publicidade
Publicidade