0

Morre Paddy Roy Bates, fundador do Principado de Sealand

10 out 2012
12h53
atualizado às 13h21

Paddy Roy Bates, o britânico que ocupou uma pequena plataforma no Mar do Norte e a declarou Principado de Sealand, morreu aos 91 anos, segundo informou seu filho nesta quarta-feira. Michael Bates disse que seu pai faleceu ontem em uma casa de repouco em Leigh-on-Sea, no leste da Inglaterra. Ele sofria de Mal de Alzheimer.

A ideia de fundar um Estado próprio surgiu na década de 1960, quando o príncipe Roy, como ele se autointitulava, criou uma rádio pirata que tocava música pop, estilo preterido pelas rádios brtânicas na época, a partir da costa. Em 1966, com o intuito de criar uma nova rádio, Roy se mudou para Fort Roughs, uma plataforma usada como ponto de defesa pela Marinha britânica durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando o movimento das rádios piratas perdeu força, Roy mudou de planos e decidiu declarar independência. Rejeitando a ordem das autoridades britânicas de que deveria deixar o local, proclamou a fortificação como o Principado de Sealand, declarando a si mesmo como príncipe e sua mulher, Joan, como princesa. Ele chegou a clamar que a pequena estrutura de ferro montada sobre dois pilares de concreto fosse reconhecida pela comunidade internacional como o menor país do mundo. Mas a iniciativa não obteve sucesso.

Mas Roy decidiu continuar com o seu plano - que, a essa altura, já estava mais para o lado do folclore. Ele criou sua própria Constituição, confeccionou uma bandeira nas cores vermela, preta e branca, emitiu passaportes, selos, moedas. O país tinha até hino. E um lema: "E Mare Libertas" (Do Mar, Liberdade, na tradução livre). Atualmente, Sealand dá até lucro. A família real viaja o mundo vendendo títulos de nobreza.

No ano passado, Michael Bates, 60 anos, esteve no Brasil para participar da Bienal do Mercosul, realizada em setembro em Porto Alegre. Na época, disse que os brasileiros "demonstraram grande apoio, e uma surpreendente quantidade de pessoas que conheci tinham informações sobre Sealand". Mas lamentou a escassa saída dos títulos de Lorde e Barão. "Não vendemos muitos títulos, mas demos muitos para nossos novos amigos e apoiadores", afirmou.

Fonte: AP AP - The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser copiado, transmitido, reformado o redistribuido.

compartilhe

publicidade