0

EUA registram 71 casos novos de sarampo em meio a surto

Aumento de 13% acontece no segundo pior surto da doença em quase duas décadas

22 abr 2019
14h42
atualizado às 15h47
  • separator
  • 0
  • comentários

Os Estados Unidos registraram 71 casos novos de sarampo na semana passada, um aumento de 13% ocorrido no momento em que o país enfrenta o segundo pior surto da doença em quase duas décadas, disseram autoridades federais da área de saúde nesta segunda-feira.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) disse ter registrado 626 casos da doença altamente contagiosa, e às vezes fatal, em 22 Estados até 19 de abril, a mais alta taxa de infecção em cinco anos.

Alerta sobre surto sarampo em comunidade judaica de Williamsburg, en Nova York
11/04/2019
REUTERS/Shannon Stapleton
Alerta sobre surto sarampo em comunidade judaica de Williamsburg, en Nova York 11/04/2019 REUTERS/Shannon Stapleton
Foto: Reuters

Entre 1º de janeiro e 11 de abril, o CDC havia relatado 555 casos em 20 Estados. O surto atual provavelmente superará o de 2014 em número de casos, alertou o CDC nesta segunda-feira.

Iowa e Tennessee foram os dois Estados com casos novos de sarampo que entraram na lista da entidade.

Mais da metade dos casos registrados neste ano ocorreu na cidade de Nova York, principalmente em Williamsburg, um bairro do distrito do Brooklyn.

A epidemia norte-americana é parte de um aumento global de ocorrências da doença outrora quase erradicada. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou que os casos globais quase quadruplicaram no primeiro trimestre de 2019, chegando a 112.163, quando comparados com o mesmo período do ano passado.

Uma parcela minoritária, mas engajada, de pais norte-americano rejeita vacinas devido à crença, contrária aos indícios científicos, de que os ingredientes destas causam autismo e outros problemas.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade