PUBLICIDADE

Biden ameaça Putin com fortes sanções por tensão na Ucrânia

De acordo com a Casa Branca, o presidente americano reiterou o seu apoio à soberania ucraniana e à sua integridade territorial

7 dez 2021 16h00
| atualizado às 16h44
ver comentários
Publicidade
Biden ameaça Putin com fortes sanções por tensão na Ucrânia
Biden ameaça Putin com fortes sanções por tensão na Ucrânia
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, participou nesta terça-feira (7) de uma cúpula virtual com seu homólogo russo, Vladimir Putin, para tratar da escalada das tensões na Ucrânia.

Inicialmente, o teor exato das conversas - que duraram cerca de duas horas - não foram divulgadas oficialmente. Logo depois, no entanto, a Casa Branca divulgou um comunicado no qual revela que o democrata expressou suas preocupações e ameaçou Putin com fortes sanções.

"Biden expressou as profundas preocupações dos Estados Unidos e de nossos aliados europeus sobre a escalada das forças russas ao redor da Ucrânia e deixou claro que os EUA e seus parceiros responderão com fortes medidas econômicas e de outros gêneros em caso de escalada militar", diz a nota.

De acordo com a Casa Branca, o presidente americano reiterou o seu apoio à soberania ucraniana e à sua integridade territorial e pediu uma redução da escalada [de tensão] e um regresso à diplomacia.

Além disso, Biden e Putin "encarregaram suas equipes de fazer o acompanhamento, e os Estados Unidos farão isso em estreita coordenação com aliados e parceiros".

Por fim, o governo americano informou que os presidentes também discutiram a relação EUA-Rússia, estabilidade estratégica, além do trabalho conjunto em questões regionais como o Irã e tiveram um diálogo separado sobre ransomware. Biden e Putin se falaram por meio de um link de vídeo seguro, nunca usado antes, de acordo com a agência de notícias russa Tass.

Segundo a publicação, na abertura da cúpula, os dois líderes expressaram saudações amigáveis. Biden disse a Putin que estava "feliz por voltar a vê-lo" e demonstrou sua disposição de "se encontrar pessoalmente" com o russo na próxima cúpula do G20.

Na sequência, as negociações continuaram a portas fechadas. Putin estava em seu escritório presidencial localizado em Sóchi, no sul do país.

A reunião entre os dois líderes foi solicitada por conta do aumento nos temores de uma invasão russa ao território ucraniano, já que é visível o aumento na presença de soldados de Moscou na região há meses.

Uma fonte da Casa Branca disse que, agora, Biden entrará em contato com os líderes da Alemanha, França, Itália e Reino Unido, já que todos formaram uma estratégia conjunta "para impor danos significativos e graves à economia russa" caso a Rússia inicie uma invasão.

Biden e Putin se encontraram pela última vez na Suíça em junho, mas fizeram poucos progressos além de concordar em enviar seus embaixadores de volta e iniciar um diálogo sobre o controle de armas nucleares.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade