0

Avião com quase 100 cai logo após decolagem no Cazaquistão

27 dez 2019
08h26
atualizado às 08h41
  • separator
  • 0
  • comentários

Um avião de passageiros que transportava quase 100 pessoas caiu perto da cidade de Almaty, no Cazaquistão, nesta sexta-feira, logo após a decolagem e atingiu uma casa, em um acidente que matou 12 pessoas e deixou dezenas de feridos.

Equipes de emergência no local de queda de avião que atingiu casa perto de Almaty, no Cazaquistão
27/12/2019
REUTERS/Pavel Mikheyev
Equipes de emergência no local de queda de avião que atingiu casa perto de Almaty, no Cazaquistão 27/12/2019 REUTERS/Pavel Mikheyev
Foto: Reuters

A aeronave Fokker 100 operada pela Bek Air teve problemas pouco depois de partir de Almaty, o centro comercial do país do centro asiático, em um voo que partiu antes da madrugada com destino à capital Nur-Sultan.

O avião perdeu altitude durante a decolagem e rompeu uma cerca de concreto antes de atingir a casa de dois andares, informou o Comitê da Aviação Civil do Cazaquistão. Não ficou claro de imediato o que provocou a queda.

"Antes de cair, a aeronave tocou a pista com a cauda duas vezes, o trem de pouso estava recolhido", disse o vice-primeiro-ministro, Roman Sklyar, a repórteres.

"Uma comissão... estabelecerá se isso foi erro do piloto ou problemas técnicos. A pista estava em condição ideal".

Uma sobrevivente disse ao site de notícias Tengrinews que ouviu um "som aterrorizante" antes de o avião começar a perder altitude.

"O avião estava voando inclinado. Tudo era como um filme: berros, gritos, pessoas chorando", contou.

O avião levava 93 passageiros e cinco tripulantes, e o Ministério do Interior cazaque disse que o capitão está entre os mortos.

O Comitê de Aviação do Cazaquistão disse que está suspendendo todos os voos da Bek Air e das aeronaves Fokker 100 à espera dos resultados da investigação.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade