0

Farc prometem libertar soldado capturado em gesto de paz

Dois lados chegaram a acordos parciais sobre reforma agrária, a participação das Farc na política e como encerrar o tráfico de drogas no país

26 dez 2014
08h14
atualizado às 12h27
  • separator
  • 0
  • comentários

Os rebeldes marxistas colombianos das Farc vão libertar em breve um soldado capturado na semana passada em uma emboscada contra uma patrulha militar, na qual mataram cinco outros militares, de acordo com um comunicado publicado na quinta-feira.

<p>Em um comunicado separado na quinta, as Farc disseram que v&atilde;o buscar a paz em 2015</p>
Em um comunicado separado na quinta, as Farc disseram que vão buscar a paz em 2015
Foto: AFP

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) começaram um cessar-fogo previamente anunciado à meia-noite da última sexta-feira, no mesmo dia em que capturaram Carlos Becerra Ojeda, de 25 anos, durante um ataque contra tropas na província de Cauca.

"A liberação é outro gesto de paz das Farc e um ato humanitário ao mesmo tempo, considerando que o soldado ficou levemente ferido durante o combate", disse o comunicado publicado no site PazFarc

O soldado será solto em um momento não determinado durante os próximos dias a uma delegação formada por membros da Cruz Vermelha Internacional e representantes de Cuba e Noruega, dois país mediadores das conversas de paz entre os rebeldes e o governo da Colômbia.

Em um comunicado separado na quinta, as Farc disseram que vão buscar a paz em 2015 em meio ao progresso nas conversas lançadas pelo presidente Juan Manuel Santos em 2012, no mais recente de vários comunicados conciliatórios divulgados pelos rebeldes recentemente.

Os dois lados chegaram a acordos parciais sobre reforma agrária, a participação das Farc na política e como encerrar o tráfico de drogas no país. Os pontos ainda em negociação são a compensação às vítimas da violência e como encerrar o conflito armado.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade