4 eventos ao vivo

Colômbia quer ser "resposta" para quem quer aprender o "melhor espanhol"

3 ago 2013
20h43
atualizado às 21h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O sotaque particular, as matizes próprias e as palavras únicas fizeram do idioma espanhol falado na Colômbia "o melhor" do mundo, ponto que centra uma nova estratégia para atrair estudantes estrangeiros que queiram aprender a língua no país sul-americano.

"Spanish in Colômbia", uma iniciativa que será apresentada ao mundo em 8 e 9 de agosto, é voltada inicialmente para estudantes entre 18 e 40 anos de Brasil, Jamaica e costa leste dos Estados Unidos, com o lema "Para aprender o melhor espanhol do mundo, a resposta é a Colômbia!".

Sob a coordenação do Instituto Caro e Cuervo (ICC), o "Marca País" e os Ministérios de Relações Exteriores, Educação e Cultura, e outras entidades govenamentais, entrou em funcionamento nesta semana o portal "www.spanishincolombia.gov.co", onde são explicados os requisitos para os interessados em estudar no país.

"Vinte e quatro horas depois de lançar a plataforma, tivemos quatro mil visitas, ou seja, 30 por minuto. A ideia é atrair 200 mil pessoas nos próximos três meses", explicou o diretor do ICC, José Luis Acosta.

"O espanhol da Colômbia foi destacado no mundo por suas matizes e suas palavras. Além disso, temos um país que se sobressai pela diversidade cultural, a gastronomia e a agenda cultural, o que torna mais atrativo estudar aqui", destacou Acosta, que também lembrou os destacados escritores colombianos.

A Colômbia se sobressai por ser o berço do Nobel de Literatura Gabriel García Márquez, além de ter importantes escritores de trajetória internacional como Álvaro Mutis, ganhador do prêmio Cervantes e do Prêmio Internacional Neustadt de Literatura, entre outros.

No marco do terceiro Encontro Internacional e quarto Nacional de Espanhol como Língua Estrangeira, que serão realizados no departamento de Antioquia (noroeste) entre 8 e 9 de agosto, a iniciativa será apresentada ao resto do mundo.

Para 2014, a ideia é "duplicar o número de estudantes de espanhol na Colômbia, que atualmente não são mais de 1.800. Se não alcançarmos esta meta, a estratégia terá falhado", acrescentou Acosta.

No entanto, o diretor do ICC destacou que, em setembro, 60 estudantes provenientes de Filipinas, Indonésia e Malásia chegarão a Bogotá subsidiados pelo "Spanish in Colômbia como método para entrar nesses mercados".

Acosta disse que, em uma segunda etapa, os esforços serão centrados nos cidadãos da Europa e no Sudeste Asiático. "Para o futuro e como meta a longo prazo, esperamos oferecer planos completos que permitam aos estudantes estrangeiros interessados cursar diferentes níveis em diversas zonas da Colômbia", comentou o diretor do instituto.

No site do programa "Spanish in Colômbia" há informações sobre as 23 Instituições de Educação Superior (IES) colombianas reconhecidas pelo ensino do espanhol em cidades como Bogotá, Barranquilla, Bucaramanga, Cali, Cartagena, Manizales e Medellín.

Segundo os dados divulgados pelo "Marca País", a Colômbia abriga 50% das 40 IES validadas pelo Sistema Internacional de Certidão de Espanhol como Língua Estrangeira (Sicele), que reconhece 77 na América Latina.

A Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) estima que 18 milhões de pessoas aprendem espanhol como segundo idioma - em 2050, ele será o segundo mais falado, depois do mandarim. Atualmente, mais de 495 milhões de pessoas falam espanhol, e a maioria deles tem o idioma como língua materna.

Veja também:

Mulheres pró aborto e policiais se enfrentam no México
EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade