PUBLICIDADE

Dilma soube de problemas em refinaria em 2009, diz jornal

26 set 2014 08h53
| atualizado às 08h53
ver comentários
Publicidade

O jornal O Globo publicou nesta segunda-feira uma reportagem na qual aponta a existência de documentos comprovando que a presidente Dilma Rousseff foi informada em 2009 sobre “indícios de irregularidades graves” nas obras da refinaria Abreu e Lima, quando era ministra da Casa Civil. De acordo com a publicação, Dilma pediu para a Controladoria Geral da União (CGU) apurar o caso, mas o processo acabou arquivado sem punir ninguém.

Na ocasião, a CGU requereu informações da Petrobras sobre os indícios de superfaturamento apontados em auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU) e mandou o processo ao arquivo em janeiro de 2014, sem qualquer avanço. Em resposta ao jornal, o Palácio do Planalto afirmou que a CGU “acompanha” as deliberações do TCU e as providências adotadas pela Petrobras.

Segundo a controladoria, existem duas justificativas para arquivar o processo que tem como origem informações levadas a Dilma. A primeira delas foi o “avanço físico” das obras em Pernambuco, com 80% da refinaria construída até o dia do arquivamento e a segunda foi uma nota informativa elaborada pela área técnica da CGU responsável por acompanhar os processos da Petrobras, onde consta a informação de que a CGU tem apenas três servidores para planejar e executar ações de controle da Petrobras, da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e da Secretaria de Petróleo do Ministério de Minas e Energia.

Pela falta de pessoal, auditorias como as na obra em Abreu e Lima não ganham prioridade, segundo a área técnica. O arquivamento do processo ocorreu no dia 9 de janeiro. Em Campanha, Dilma costuma adotar o discurso de que precisa ter acesso às denúncias para do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso no Paraná, para adotar medidas administrativas. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade