PUBLICIDADE

Cabo eleitoral é assassinada um dia após denunciar ameaça

Renata Castro, que fazia campanha para Renato Cozzolino, é morta a tiros na porta de casa; Polícia investiga conotação política

30 out 2020 17h39
| atualizado às 18h07
ver comentários
Publicidade

Um dia após registrar uma denúncia de corrupção na área de saúde pública em Magé (Baixada Fluminense) e afirmar, em um vídeo, que havia recebido ameaças de morte, uma cabo eleitoral foi assassinada a tiros na porta de casa, em Magé, na manhã desta sexta-feira, 30. Renata Castro, de 40 anos, fazia campanha para Renato Cozzolino, deputado estadual e candidato a prefeito do município da Baixada Fluminense pelo PP.

Em vídeo, Renata Castro havia relatado ter recebido ameaças de morte
Em vídeo, Renata Castro havia relatado ter recebido ameaças de morte
Foto: Reprodução / Estadão Conteúdo

Segundo a Polícia Civil, ela estava na porta de casa, na rua Florêncio Vidal, no bairro Fragoso, quando atiradores passaram de carro e dispararam pelo menos 15 tiros. Ela morreu na hora. Os atiradores fugiram e até a tarde desta sexta-feira não haviam sido identificados. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, mas a Polícia Federal e a Justiça Eleitoral também acompanham o caso, para avaliar se houve conotação política.

No vídeo, gravado na quinta-feira em frente ao prédio da Polícia Federal em Magé, Renata afirmou que "não adianta me ameaçarem de morte. Hoje (ontem), teve dois cidadãos que foram no prédio me ameaçar, me coagir. O que eu fiz ontem eu vou fazer amanhã, vou fazer depois de amanhã. Mais uma denúncia aqui na Polícia Federal".

Estadão
Publicidade
Publicidade