Iluminismo por tópicos

26 mai 2017
09h30
  • separator
  • comentários

Introdução

O Iluminismo seguramente foi o maior e mais importante movimento intelectual da história moderna. Tendo como epicentro a França, particularmente sua capital Paris, justamente denominada de Cidade Luz, seu ideário espalhou-se por grande parte do Mundo Ocidental. Sua meta era laicizar a sociedade, afastando-a gradativamente do controle exercido sobre ela pelos sacerdotes e pelos agentes dos reis. O mundo atual, o Mundo Contemporâneo, é o filho dileto do Iluminismo com sua fé no Progresso e no aperfeiçoamento ético da Humanidade. Como bem definiu Kant no seu famoso ensaio:

'A Lâmpada se opõe ao Sol' tela de J. Wright of Derby (1766)
'A Lâmpada se opõe ao Sol' tela de J. Wright of Derby (1766)
Foto: Reprodução

O iluminismo representa a saída dos seres humanos de uma tutelagem que estes mesmos se impuseram a si. Tutelados são aqueles que se encontram incapazes de fazer uso da própria razão independentemente da direção de outrem. É-se culpado da própria tutelagem quando esta resulta não de uma deficiência do entendimento, mas da falta de resolução e coragem para se fazer uso do entendimento independentemente da direção de outrem. Sapere aude! Tenha a coragem para fazer uso da tua própria razão! - esse é o lema do iluminismo.

(E. Kant – o que é o iluminismo?)

Religião

Deísmo e ateísmo: os iluministas criticam a religião revelada e colocam-se a favor da religião natural. Combatem a superstição e o fanatismo bem como todas as formas de rebaixamento do homem.

Sociedade

Meritocracia: propõe uma nova hierarquia aberta aos talentos. Supressão dos direitos hereditários e dos privilégios defendidos pela nobreza e pela Igreja. Laicização: a partir da separação do Estado da Igreja, a sociedade deve ser orientada pelos princípios laicos (não-religiosos), adotados na educação, na justiça, etc.

Estética

Neoclássica: a pureza clássica, de inspiração greco-romana, opõe-se aos exageros arquitetônicos e decorativos do barroco e do rococó. Estética precursora do moderno funcionalismo na arquitetura.

Filosofia

Materialismo e utilitarismo. Inspirados em Descartes (‘penso, logo existo’). Afirmação da mente sobre a alma e sobre os sentimentos.

Economia

Fisiocracia reage ao Mercantilismo: a riqueza vem da natureza e não dos metais preciosos. Quesnay e o “Quadro Econômico”. Defesa da não-intervenção do Estado na economia (laissez-faire). Economia-política inglesa: ênfase na importância das fábricas e na divisão do trabalho. Busca das leis econômicas.

Política

Anti-absolutismo: defendiam uma monarquia constitucional sedimentada na divisão dos três poderes, Aceitavam o Despotismo Esclarecido/regime republicano, mas não democrático. A concepção de ‘cidadão’ (homem livre e independente) supera a de ‘súdito’(posição servil à autoridade). Thomas Paine, ideólogo do republicanismo (‘Senso comum e os direitos do homem’). Formação da doutrina Liberal.

Homem

Ser suscetível de aperfeiçoamento ético oposto ao dogma do pecado original do cristianismo. O H. nasce bom a sociedade o corrompe (J.J. Rousseau). Deve procurar libertar-se da ingerência alheia (do estado ou da religião) e pensar com sua própria cabeça.

Natureza

Fim dos mistérios de Deus/. A natureza deve ser decifrada por meio do estudo científico das leis que a regem o que irá proporcionar o desenvolvimento geral da sociedade e da humanidade como um todo.

Sensações

O Sentimento deve enfrentar a contenção, a frigidez e o rigor da aristocracia. Rousseau, um dissidente, advoga por no lugar do coração a mente. O pós-iluminismo subdivide-se em Clássico e Romântico.

Razão

Instrumento de libertação do espírito e único guia confiável em direção ao Progresso. É a bússola e o instrumento do homem do século das luzes. Para levar suas conquistas adiante.

Ciência

Cartesianismo. Instrumento da libertação humana e principal fonte das certezas do homem. Descoberta do pára-raios e da luz o que impede a ação vingativa ou punitiva de Deus, abrindo caminho para a descrença e para o fortalecimento do que é humano. A principal obra de divulgação científica foi a ‘Enciclopédia das ciências e das artes’, dirigida por Diderot e D Alembert (1752).

Nova deidade

O Progresso: força desencadeada pelo homem na construção de um futuro melhor na Terra. O Vale dos Sofrimentos do cristianismo é superado pela prosperidade material e gradativo abandono da crença da vida após a morte.

Indivíduo

Autonomia (pensar por si próprio). Libertos, graças às luzes, dos entraves do despotismo (absolutismo) e do fanatismo (religião), os indivíduos encontram por si o caminho da sua liberdade e independência material e mental.

Tolerância

Pelo fim da discriminação e perseguição religiosa. Pelo convívio harmônico das religiões e daqueles que pensam diferente. Proposta defendida pelos livre-pensadores que rejeitam os dogmas do poder e da religião, particularmente John Locke e Voltaire.

Escravidão

Abolição da escravidão e qualquer outro tipo de servidão. Seu impacto maior foi nas colônias do Novo Mundo. Apesar das leis abolicionistas terem sido aprovadas em 1792-3, somente em 1848 o cativeiro de homens definitivamente foi abolido.

Direito Penal

Advogaram pelo fim dos castigos físicos, da tortura e da pena de morte.

Difusão

Multiplicidade dos meios de difusão das idéias iluministas: livros, jornais, revistas, panfletos, lojas maçônicas, salões, cafés, reuniões de discussão, etc.

Personalidades

Montesquieu, Voltaire, Diderot, Rousseau, D´Holbach, D´Alembert, Condorcet, Helvetius, Quesnay, Mirabeau pai, J.Locke, Hume, Adam Smith, E.Darwin, E. Gibbon, J. Bentham, I.Kant, Lessing, Mendelsson, Beccaria, B.Franklin, Jefferson, Thomas Paine.

Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade