PUBLICIDADE

Muito texto, dificuldades e redação: estudantes falam sobre 1º dia de prova do Enem

Neste domingo, 5, quase 4 milhões de candidatos participam do primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

5 nov 2023 - 17h49
(atualizado às 19h57)
Compartilhar
Exibir comentários
Hugo Godoy
Hugo Godoy
Foto: Marcela Coelho/Terra

Neste domingo, 5, ocorre o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 e estudantes que já finalizaram a primeira fase da prova compartilharam com o Terra suas experiências e expectativas para a próxima semana.

Hugo Godoy, de 28 anos, é um veterano do Enem. Em sua terceira participação no exame, ele busca uma bolsa integral para cursar Fisioterapia. Para ele, a prova do primeiro dia, que consistia em 90 questões, apresentou um desafio: "Tinha bastante texto. É, bate um pouco de sono, você vai, acorda, vai, tem que ler e reler pra tirar uma nota boa, né." 

Hugo compartilhou suas preocupações sobre a prova de Matemática na semana seguinte, mas expressou satisfação com a prova de Língua Espanhola. Ele descreveu o tema da redação como "muito bom" e concluiu com expectativas positivas: "Eu espero que tenha ido bem, mas vamos ver agora como vai ser. Mais uma semana, mais um domingo, e esperar uma nota, uma prova que seja maravilhosa".

Matheus dos Santos Lajes, de 20 anos, realizou o Enem pela primeira vez após concluir o Ensino Médio. Seu objetivo é ingressar no curso de Medicina Veterinária. Embora tenha uma jornada de trabalho em uma metalúrgica, Matheus encontrou maneiras de conciliar seus estudos com seu emprego.

"A prova foi difícil, mas acho que eu mandei mal só na redação. Eu fui lá e escrevi do jeito que veio na minha mente e tem que ver agora o resultado", compartilhou. Ele destacou que as questões do exame exigiam muita atenção e leitura cuidadosa, especialmente devido à quantidade de texto. 

Já Ana Larissa Santiago, de 19 anos, compareceu ao Enem pela segunda vez e busca uma vaga no curso de Direito. Ela comentou sobre a dificuldade da prova, afirmando: "Tá na média". 

Ana Larissa Santiago, de 19 anos
Ana Larissa Santiago, de 19 anos
Foto: Marcela Coelho/Terra

Ana Larissa enfatizou a escolha do tema da redação como algo relevante: "Acredito que foi um tema que é super importante, que tá sempre no nosso dia a dia. Para muita gente, vai ser um tema fácil de se falar." Para ela, que é mãe de um bebê de sete meses, a proximidade do tema com sua realidade pessoal tornou a redação mais acessível. O tema deste ano foi invisibilidade do trabalho de cuidado da mulher no Brasil. 

Ela também expressou desafios nas questões de Ciências Humanas, mas elogiou a parte de geografia e sociologia. "Achei que tava bem mais direta", observou, comparando a prova com a do ano anterior.

A jovem também destacou que enfrentou longos deslocamentos de casa, na Vila Medeiros, Zona Norte de São Paulo, até o local de prova. "Esse ano muita gente foi jogada [para fazer a prova] bem longe [de onde mora]. Agora eu vou pegar um Uber até a Barra Funda e da Barra Funda vou para casa.

Paulo Henrique Ferreira Dias
Paulo Henrique Ferreira Dias
Foto: Marcela Coelho

O auxiliar administrativo Paulo Henrique Ferreira Dias, de 36 anos, fez o Enem pela primeira vez com a intenção de ingressar em um curso de Administração. Ao deixar o local de prova, ele contou para a reportagem que achou as questões difíceis, principalmente de História, Geografia, e conhecimentos gerais. "Eu não estava muito preparado para esses assuntos", relatou Paulo. "Mas português, as questões de interpretação de texto e Redação acho que eu fui muito bem", acrescentou, detalhando que sua maior dificuldade, porém, é Exatas, tema do segundo dia de prova no próximo domingo, 12. 

O estudante disse ainda que adorou o tema da redação, 'Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil'. "Como puxa mais para o lado da mulher, foi mais fácil discorrer por causa da vivência que eu tenho com a minha mãe, que criou os filhos sozinha, minhas irmãs e minhas sobrinhas também. É tudo nas costas da mulher", opinou, dizendo que usou referências de sua vida pessoal para compor seu texto. 

 "Eu gostei do tema, gostei do que eu discorri na redação, é um tema importante com certeza". 

Rosângela Souza Santos
Rosângela Souza Santos
Foto: Marcela Coelho

A psicóloga Rosângela Souza Santos, de 35 anos, já fez o Enem outras cinco vezes e segue prestando o exame por causa de um projeto pessoal. "Quero chegar na nota máxima do Enem para, daqui uns 5 anos, fazer graduação em Medicina e me especializar em psiquiatria", detalhou. 

Rosângela disse ter achado a prova "razoável" e que entregou o exame faltando 5 minutos para o prazo final por causa dos textos mais longos. "Exige uma concentração muito grande na leitura, então você acaba usando todo o tempo mesmo", declarou. "Pelo menos na minha dinâmica de organização e de tempo, não consigo concluir a leitura dos textos e responder de forma bem concentrada sem usar todo o tempo".

*Com colaboração de Isabella Lima e Karen Lemos

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade