PUBLICIDADE

Salário de médicos não é o maior no ‘Enem dos Concursos’; entenda por que

Concurso Público Nacional Unificado (CPNU) é considerado o “Enem dos Concursos” e acontece em 5 de maio

7 fev 2024 - 05h00
(atualizado às 12h07)
Compartilhar
Exibir comentários
Vagas em Concurso Nacional Unificado tiveram alterações nos salários
Vagas em Concurso Nacional Unificado tiveram alterações nos salários
Foto: Imagem ilustrativa/Freepik

É comum acreditar que o salário de um médico seria o mais alto em um concurso público, no entanto, outras profissões da mesma área podem ser melhor remuneradas em salários iniciais, como é o caso da vaga para auditor fiscal do trabalho (AFT) no Concurso Público Nacional Unificado (CPNU). Apesar de a Medicina exigir mais estudo, a profissão tem carga horária menor do que outras, o que poderia justificar o salário mais baixo.

Neste ano, o CPNU, ou apenas CNU, anunciou remuneração de R$ 5.513,72 para médicos atuarem na Advocacia-Geral da União (AGU), valor pouco maior do que o anunciado para os psicólogos, que é de R$ 5.488,70, com a mesma lotação. A remuneração inicial mais alta anunciada pelo concurso foi no valor de R$ 22.921,71 para atuar como Auditor Fiscal do Trabalho (AFT) no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). As profissões fazem parte do Bloco 4: Trabalho e Saúde do Servidor no concurso.

De acordo com o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, os salários do CPNU são calculados conforme o disposto na legislação específica do cargo em seu referido órgão. Os valores são obtidos a partir da Tabela de Remuneração dos Servidores Públicos Federais Civis e dos Ex-Territórios.

Retificações

Os salários iniciais do CPNU foram anunciados no edital do concurso, e no dia 18 de janeiro, foi feita uma retificação, e os salários de algumas vagas aumentaram. A alteração foi publicada no Diário Oficial da União de 18 de janeiro. Confira os cargos com aumento no salário inicial:

• Especialista em estatística - R$ 10.233 para R$ 10.453 (duas vagas)

• Especialista em geografia - R$ 10.233 para R$ 10.453

• Especialista em demografia - R$ 10.233 para R$ 10.453

• Especialista em indigenismo - R$ 7.697 para R$ 8.263 (15 vagas)

• Engenheiro agrônomo - R$ 6.804 para R$ 7.296

• Médico - R$ 4.407 para R$ 5.513

• Psicólogo - R$ 5.488 para R$ 5.513

• Técnico assuntos educacionais - R$ 5.488 para R$ 6.761

• Técnico em indigenismo - R$ 5.331 para R$ 6.987

• Técnico em geografia - R$ 4.008 para R$ 3.741 (quatro vagas)

• Especialista em Letras - R$ 9.252 para R$ 8.453

Candidatos devem considerar aplicar para vagas em outros blocos, diz professor
Candidatos devem considerar aplicar para vagas em outros blocos, diz professor
Foto: Imagem ilustrativa/Freepik

O Ministério da Gestão e Inovação também flexibilizou a exigência curricular para as vagas de Auditor-Fiscal do Trabalho (AFT), que tem salário inicial de R$ 22 mil. Antes era necessária uma especialidade em auditoria e fiscalização, agora podem se inscrever candidatos de especialistas em “qualquer área de conhecimento”.

Além do aumento de alguns salários, foram incluídas novas regras de segurança para a realização das provas. Segundo o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, o objetivo das retificações é evitar interpretações divergentes do edital e garantir a lisura na seleção dos candidatos que ingressarão no serviço público.

Em publicação no site oficial, o Sindicato dos Médicos do Pará afirma que houve desvalorização da profissão médica no CPNU, e que chamou a atenção o fato de que a profissão, que exige seis anos de graduação, tenha um dos menores salários entre os cargos disponíveis. 

CPNU é chamado também de 'Enem dos Concursos'
CPNU é chamado também de 'Enem dos Concursos'
Foto: Imagem ilustrativa/Freepik

“Quando foi lançado, o edital previa salário de R$ 4.407 aos médicos. Após a alteração, o valor foi corrigido para R$ 5.513. Ainda assim, bem abaixo do valor ofertado a outros cargos. [...] O que poderia explicar que profissionais graduados em outras áreas ganhem até quatro vezes mais do que os médicos especialistas?” diz o sindicato na publicação.

“O salário ofertado aos médicos neste edital é um escárnio. Demonstra o desprezo deste governo para com a categoria médica. O Sindmepa protesta e repudia! Vamos continuar lutando por salários dignos e a carreira médica”, afirmou o diretor do Sindmepa, Waldir Cardoso.

O que dizem os especialistas?

O advogado Carlos Figueiredo Mourão, vice-presidente da Comissão da Advocacia Pública da OAB São Paulo, explica que o concurso em andamento tem como previsão uma carga horária para os médicos de 20 horas semanais, diferente dos demais. “Além deste fato, os médicos costumam receber adicional de insalubridade, periculosidade e horário noturno, podendo, ainda, acumular mais um cargo de médico no serviço público”.

“Todos os cargos públicos são criados por lei, bem como a remuneração correspondente. A União tem a obrigação de corrigir qualquer eventual erro nos editais, sendo que deve tornar público da mesma forma que o edital original e, se for o caso, prorrogar os prazos”, completa.

O professor Heitor Ferreira, que dá aulas na Alfa Concursos, diz que o estranhamento na disparidade de salários oferecidos pelo CPNU vem de uma crença de que a medicina é uma das áreas mais bem remuneradas na nossa sociedade.

A vaga melhor remunerada no CPNU é a de auditor fiscal do trabalho (AFT)
A vaga melhor remunerada no CPNU é a de auditor fiscal do trabalho (AFT)
Foto: Imagem ilustrativa/Freepik

“Gera-se um estranhamento porque, no Brasil, a gente tem um estereótipo de que a profissão de médico é a que mais ganha dentro da nossa sociedade. Como, de fato, a gente sabe que ela ganha muito mais do que o teto de diversas outras profissões. Mas dentro do CPNU, a gente tem essa variação, por especificidade e também por exigência de formação. Ainda no mesmo bloco, a gente pode citar o cargo pra Auditor Fiscal do Trabalho, que é, de longe, o melhor salário do concurso”, diz.

Segundo Ferreira, olhando para os blocos temáticos de vagas, é possível encontrar vagas de nível intermediário com salários acima do teto previsto, como é o caso do cargo de Técnico em Indigenismo, com salário de R$ 6.987,19.

“A variação está muito no que tange à carga horária. Então, há essa grande variação salarial. Mas, sem dúvida, dentro do CPNU, a questão do trabalho traz pra gente muitas perspectivas e possibilidades, inclusive para quem tem só o ensino médio completo, para ganhar um salário de quase de 7 mil reais, por exemplo”.

Tatiane Florentino é coordenadora de enfermagem da Sanar, editora especializada em livros para concursos na área da saúde. Ela diz que as vagas do CPNU consideram o nível de graduação, diminuindo a disparidade e a super ou subvalorizacao de categorias profissionais.

“Quando o CPNU estabelece o salário por níveis de formação - graduação, mestrado, doutorado - a mensagem que deixa implícita é que entende-se que todas as profissões tem valor e preço pelo seu trabalho equivalentes. Isso impacta para categoria como médicos, porque, historicamente, nos concursos públicos, principalmente municipais, são ofertadas salários maiores que as demais categorias considerando a necessidade de retenção de médicos no interior do Brasil”, diz.

Ela pontua, entretanto, que de maneira geral, há remunerações em todas as vagas que não são justas e atendem estritamente a subsistência básica.

Explorar outros blocos pode ser uma alternativa

O professor Heitor Ferreira aconselha que os candidatos procurem vagas além daquela que diz respeito à sua área de atuação ou de interesse, inclusive, em outros blocos do CPNU.

“Os blocos 4, 7 e 8 vão ter uma procura muito elevada, é um grande fato. O bloco 7 porque tem 1.748 vagas, e é a parte de gestão governamental e administração pública, aceitando, na maioria das vagas, só o nível superior completo. O bloco 8 porque é o nível intermediário e o bloco 4 porque tem o AFT, que muita gente estudava para este certame”, diz.

Médicos não têm os maiores salários no CPNU
Médicos não têm os maiores salários no CPNU
Foto: Imagem ilustrativa/Freepik

“A minha dica é, dê uma olhadinha para além dos salários, nos blocos que vão ficar quase vazios. Muitos blocos vão ter uma concorrência bem pequena, e talvez a escolha de um bloco, olhando para a premissa salarial, mas também olhando para a concorrência que você enfrentará, pode colocar você dentro de uma vaga, o que seria mais difícil, talvez, em um bloco que tem uma concorrência tão elevada”, aconselha.

O professor também chama atenção para a regionalização das provas, e afirma ser mais vantajoso escolher uma vaga no próprio Estado ou cidade do candidato, com remuneração mais baixa, do que vagas que paguem mais, mas que estejam a 2 mil quilômetros de distância, por exemplo. "Essa escolha, pode ser bastante importante nesse cenário", aponta.

Sobre a escolha dos blocos do CPNU, Tatiane Florentino pensa que, para fazer a escolha, o candidato deve avaliar a própria formação e as exigências das vagas. “Um ponto, é entender quais atividades prevista para as vagas. Pois, ali está definido como será seu processo de trabalho e dá para perceber o nível de exigência e o impacto que os resultados apresentados gerará”.

Assim como o professor Heitor, Tatiane recomenda atenção ao local de atuação. “Existem vagas que o local de atuação é apenas em Brasília ou no Rio de Janeiro. Isso porque, para candidatos que precisem mudar de endereço, a análise financeira/salarial ofertada na vaga será um passo importante!”.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade