0

Em São Paulo, 650 cremações de pets são realizadas por mês

Serviço cresce cada vez mais com humanização dos animais

5 nov 2018
16h41
  • separator
  • comentários

Um dos momentos mais preocupantes para quem tem um pet é a hora de se despedir de seu amigo, que fez parte da família por diversos anos. Além de ser uma fase difícil, muitos tutores não possuem conhecimento ou instrução de como agir nesses momentos, ou quais serviços procurar para possibilitar um final mais digno aos seus pets.

Foto: DINO / DINO

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Geociência da Universidade de São Paulo (USP), 60% dos animais domésticos mortos são depositados em terrenos baldios, quintais, jardins ou sítios, enquanto que 7% deles são colocados em sacos de lixo e jogados na rua. Apenas 20% dos bichinhos são entregues para órgãos competentes. Esse tipo de prática pode trazer sérios problemas para o meio ambiente, como a contaminação dos lençóis freáticos e a infestação de insetos e roedores.

Nos últimos anos, entretanto, foi notado um aumento na contratação de serviços funerários voltados ao mercado pet. Uma modalidade em alta tem sido a cremação de pets, com contratação de planos que possibilitam ter lembranças do animal. "Estamos há 60 anos no mercado funerário, mas nunca vimos reações como estas, que é pedir uma lembrança do pet, seja um pedaço de pelo, um dente, ou as lembranças personalizadas que fazemos por aqui", conta Maria Gabriela Mondrani, sócia-proprietária da Pet Previdência, empresa que realiza cremação de animais.

A empresa também entrega as cinzas em uma urna ou as transforma em um diamante (produzido com pelos ou cinzas) nas cores azul, amarelo ou branco, no tamanho de dois milímetros. A peça leva sessenta dias para ser produzida e custa R$1.500,00. Em alguns casos, como doenças infectuosas, até se recomenda que a cremação seja realizada, mas Gabriela reforça a importância da orientação correta.

"Alguns veterinários ainda recomendam a incineração disponibilizada pela Prefeitura, achando que é a mesma coisa de cremar o corpo, mas não é. Na pública, o corpo do pet é incinerado junto com outros objetos. Com a cremação, o tutor recebe as cinzas e pode até acompanhar o processo, que pode ser pessoalmente ou via transmissão de celular", completa.

Outra empresa que também realiza cremação é a R.I.P Pet, pioneira na cidade de São Paulo ao também oferecer o velório. A cerimônia acontece em um local especializado no bairro de Higienópolis. Quando o tutor contrata o plano de cremação, também tem direito à cerimônia e, caso deseje, pode acompanhar o corpo do animal até a cidade de Pindamonhangaba, interior de São Paulo, para assistir à cremação e retornar com as cinzas.

"Fomos a primeira empresa no Vale do Paraíba a oferecer esse serviço e, na época, o que nos motivou a entrar no mercado foi justamente isso, não existia no interior. Vemos que é uma demanda que crescerá, assim como o mercado. Esperamos expandir nosso negócio e já olhamos outros estados. Acredito que, até 2019, abriremos uma unidade no sul do Rio de Janeiro", conta Gina Valone, diretora comercial da R.I.P Pet.

A Pet Memorial é outra empresa que migrou para o setor pet, e já possui 18 anos de existência. "Verificamos que na época não existia uma destinação final digna para os animais, as opções eram que eles fossem incinerados junto com o lixo hospitalar, com o lixo comum ou enterrados no quintal de casa, foi quando desenvolvemos e implantamos o Pet Memorial, o primeiro crematório de animais da América do Sul", relembra Evans Edelstein, proprietário da empresa.

A veterana do setor oferece atendimento 24 horas por dia e sete dias por semana, com transporte do corpo no local do óbito até a clínica, atestado de cremação, garantia de autenticidade do processo, e atendimento psicológico ao tutor. A empresa realiza 650 cremações por mês e diz que o número vem aumentando mensalmente. Com a alta na demanda, Edelstein iniciou o processo de franschising da marca. "Ao longo de muito tempo, fomos procurados por pessoas em todo o Brasil e no exterior, que gostariam de implantar um projeto como o nosso. Por conta desta demanda, resolvemos criar nossa franquia. Já possuímos estudos avançados em mais de 60 cidades no País e no exterior para a implantação destes empreendimentos", finaliza o proprietário da Pet Memorial.

Como funcionam os serviços
As três empresas trabalham com dois tipos de planos: emergencial e preventivo. O primeiro é a contratação do serviço no momento do óbito, e o segundo pode ser adquirido a qualquer momento e pago ao longo de doze meses. Os valores variam de R$300 a R$1290, dependendo da região e porte do animal. O tutor também pode escolher entre a cremação coletiva ou a individual, no caso da coletiva, não é possível ter as cinzas do pet.

Todas estas tendências do mercado pet e veterinário e comportamento animal foram encontradas na PET South America, que aconteceu entre os dias 21 a 23 de agosto, no São Paulo Expo.
Artigo realizado por: Comunicação PET South America



Website: http://www.petsa.com.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • comentários
publicidade