0

Não sigam orientações do presidente da República, diz Doria

Governador de São Paulo afirmou que Jair Bolsonaro não lidera o país no combate à pandemia do novo coronavírus

30 mar 2020
13h57
atualizado às 14h10
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pediu nesta segunda-feira que a população não siga as orientações do presidente Jair Bolsonaro no combate ao coronavírus e afirmou que o chefe do Executivo federal não lidera o país no combate à pandemia.

Governador João Doria concede entrevista coletiva de imprensa
Governador João Doria concede entrevista coletiva de imprensa
Foto: Fracisco Cepeda / Estadão

"Neste caso, por favor, não sigam as orientações do presidente da República do Brasil. Ele não orienta corretamente a população e, lamentavelmente, não lidera o Brasil no combate ao coronavírus e na preservação da vida", disse Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Doria e Bolsonaro divergem sobre as estratégias para lidar com o novo coronavírus. Enquanto o governador tem adotado medidas de restrição à circulação, como quarentena e fechamento do comércio, e insistido que as pessoas fiquem em casa --em consonância com as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS)--, Bolsonaro já se referiu à doença como uma "gripezinha", defende a volta das pessoas ao trabalho para evitar danos à economia e acusa governadores e prefeitos que adotam medidas de isolamento de "exterminadores de empregos".

Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados no domingo, o novo coronavírus já matou 136 pessoas no Brasil, e foram registrados 4.256 casos da doença. São Paulo é de longe o Estado com maior número de casos e óbitos devido à doença.

De acordo com a OMS, existem quase 700 mil casos de Covid-19 em 202 países e a doença já matou mais de 33 mil pessoas em todo o planeta.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade