PUBLICIDADE

Delta é mais da metade de amostras de coronavírus no Rio

Com o avanço da variante, prefeitura e governo do Estado do Rio voltaram a abrir leitos para pacientes com covid-19

16 ago 2021 11h17
| atualizado às 11h32
ver comentários
Publicidade

A variante Delta do coronavírus já responde por mais da metade das amostras sequenciadas na cidade do Rio de Janeiro, o que reforça a tese de que a capital fluminense é o epicentro da variante, apontada como mais transmissível, no Brasil.

Quase 57% das amostras que passaram por sequenciamento genético foram positivas para a variante Delta, originada na Índia e que tem causado um aumento nos casos de covid-19 em vários países.

Profissionais de saúde ajustam trajes de proteção em hospital do Rio de Janeiro
18/06/2021 REUTERS/Pilar Olivares
Profissionais de saúde ajustam trajes de proteção em hospital do Rio de Janeiro 18/06/2021 REUTERS/Pilar Olivares
Foto: Reuters

"Recebemos novos resultados de sequenciamento genômico do Laboratórios LNCC e UFRJ/LVM, que se somam aos demais resultados, demonstrando que a variante Delta foi identificada em 56,6% das amostras colhidas no último mês. Evite se expor desnecessariamente, e use máscara", disse no Twitter o secretário municipal de saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz.

No fim de semana, foram interditadas na zona sul da cidade festas com dezenas de pessoas. Pontos de aglomerações também foram registrados em bares, restaurantes e locais públicos.

Com o avanço da Delta, prefeitura e o governo do Estado do Rio voltaram a abrir leitos para pacientes com covid. A expectativa é que o percentual de casos de Delta continue subindo.

"Foi assim no mundo e a Delta rapidamente se tornou dominante. A gente espera que aumente número de casos e por isso é importante vacinar. Já houve um aumento de casos leves e internações de 10% e isso coloca o sistema em alerta", disse Soranz.

A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva para covid na capital está em 91% e no Estado em 75%.

A cidade termina essa semana a vacinação de adultos e inicia a imunização de adolescentes na próxima semana. Ainda neste mês o município também vai começar a aplicar uma terceira dose da vacina contra covid-19 em idosos que moram na ilha de Paquetá.

A capital fluminense vacinou mais de 86% de adultos com uma dose e mais de 40% com duas doses.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade