PUBLICIDADE

Anvisa recomenda isolamento para comitiva de Bolsonaro

Agência se manifestou após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ser diagnosticado com covid-19 em Nova York

22 set 2021 09h35
| atualizado às 09h47
ver comentários
Publicidade
Bolsonaro durante discurso na Assembleia-Geral da ONU
Bolsonaro durante discurso na Assembleia-Geral da ONU
Foto: EPA / Ansa - Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que os integrantes da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que tiveram contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, cumpram isolamento de 14 dias no Brasil.

Queiroga foi diagnosticado com covid-19 em Nova York e acompanhou Bolsonaro durante toda a sua agenda nos Estados Unidos. O isolamento, no entanto, é apenas uma recomendação da Anvisa, não uma exigência.

A agência ainda recomendou que o desembarque no Brasil aconteça "de forma a expor o mínimo possível ambientes e pessoas".

Além disso, o período de isolamento deve ser cumprido "na cidade de desembarque no Brasil, evitando novos deslocamentos até que tenham ultrapassado o período de transmissibilidade do vírus".

Após retornar de Nova York, Bolsonaro seguiu diretamente para o Palácio da Alvorada, mas a Presidência da República não informou se ele vai respeitar o isolamento. Já Queiroga continua nos EUA e vai ficar em quarentena por duas semanas antes de voltar a Brasília.

Durante seu discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas, Bolsonaro criticou medidas de isolamento contra a covid-19 e defendeu o uso de tratamentos ineficazes contra a doença.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade