PUBLICIDADE

Conselho de ética aprova cassação do vereador Jairinho

Parlamentar está preso acusado da morte do enteado Henry Borel, de 4 anos

28 jun 2021 13h56
| atualizado às 14h28
ver comentários
Publicidade
Presidente da Câmara do Rio aceita abertura do processo de cassação de Jairinho
Presidente da Câmara do Rio aceita abertura do processo de cassação de Jairinho
Foto: Renan Olaz

O Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio aprovou por unanimidade nesta segunda-feira, 28, o relatório que pede a cassação do vereador Doutor Jairinho, que está preso acusado da morte do menino Henry Borel, de 4 anos. O relatório será apreciado pelo plenário na próxima quarta-feira, quando serão necessários 34 votos dentre os 51 vereadores que compõem a Casa para confirmar a cassação.

O relator do processo, Luiz Ramos Filho (PMN), pediu a cassação de Jairinho por quebra de decoro parlamentar. "Nenhum vereador gostaria de estar aqui, julgando um caso tão triste, a morte de uma criança. O relatório foi embasado no inquérito policial, nos depoimentos das testemunhas e nas provas técnicas. Procuramos fazer um trabalho imparcial, com base nos fatos", disse o vereador.

Jairinho e a namorada, Monique Medeiros, mãe de Henry, estão presos desde abril acusados da morte do menino. Eles se tornaram réus pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tortura de incapaz, coação de testemunhas e fraude processual. Eles negam as acusações.

Estadão
Publicidade
Publicidade