0

Ilhas do Caribe mudam de cor após passagem do furacão Irma

Imagens de satélite mostram os efeitos de ventos de quase 300 km/h

11 set 2017
21h24
  • separator
  • comentários

Algumas ilhas do Caribe mudaram sua cor natural após a passagem do furacão Irma , que atingiu a região como um furacão de categoria 5, a mais alta na escala Saffir-Simpson, que mede a força dos furacões. Seus ventos de quase 300 km/h devastaram algumas áreas mudando completamente a aparência da vegetação .

O Irma passou sobre as ilhas Virgens Britânicas e Americanas no dia 6 de setembro de 2017, com ventos máximos sustentados de 295 km/h.

A NASA - Agência Espacial Norte Americana - divulgou imagens de satélite impressionantes que mostram o "antes" e o "depois" do furacão Irma . As imagens a seguir foram capturadas nos dias 21 e 25 de agosto de 2017, antes da passagem do Irma, e nos dias 8 e 10 de setembro, depois do furacão. São Imagens em cores naturais capturadas pelo Operational Land Imager (OLI) no satélite Landsat 8 e pelo MODIS ( Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) a bordo dos satélites Terra e Aqua.

As diferenças são fáceis de perceber: o que era verde virou marrom. O verde era da farta vegetação tropical e o marrom indica o terreno cru, sem as árvores, que foram arrancadas pela violenta ventania do Irma. Mas os cientistas da NASA explicaram que a vegetação também sofreu uma "desidratação" por causa da camada de sal que foi espalhada pelos ventos sobre a vegetação que ainda estava nas árvores.

Foto: Climatempo
Imagens do satélite Landsat 8 mostram as Ilhas Virgens antes (acima) e depois (abaixo)
da passagem do furacão Irma (Fonte: NASA)

Esta outra imagem mostra em detalhe do que ocorreu na ilha Virgem Gorda . Parte da vegetação no sul e oeste da ilha aparece mais verde, o que indica que a devastação foi meno r.

Foto: Climatempo
Imagensdo satélite Landsat 8 mostram a Ilha Virgem Gorda antes (esquerda) e depois (direita)
da passagem do furacão Irma (Fonte: NASA

Na análise da NASA, estas áreas da ilha provavelmente foram parcialmente protegidas dos ventos pelas colinas no centro da ilha . As diferenças na cor do oceano são originadas por diferentes tipos de superfície do oceano. Terrenos mais rugosos dispersam mais a luz e por isso aparecem em tons mais claros e brilhantes.

As imagens dos satélites da NASA Terra e Aqua mostram o "antes" e do "depois" da passagem do furacão Irma sobre a região de Barbuda e Antiqua . Há grandes diferenças do impacto sobre estas ilhas. O Irma atingiu diretamente a ilha Barbuda como um furacão de categoria 5 no início do dia 6 de setembro de 2017. A devastação nesta ilha foi muito maior do que em Antiqua. O Irma passou mais ao norte de Antiqua e os danos na ilha foram menores .

Foto: Climatempo
Imagens dos satélites Terra e Aqua (MODIS) mostram as ilhas Barbuda e Antiqua
antes (esquerda) e depois (direita) da passagem do furacão Irma (Fonte: NASA)

Repare como Barbuda ficou quase toda marrom na imagem do dia 8 de setembro, depois da passagem do furacão, indicando a drástica redução da camada de vegetação. Já em Antiqua, a vegetação foi bastante preservada.

Irma enfraquece para tempestade tropical e Furacão José não deve atingir a Flórida

Previsão do NHC para a temporada de furacões de 2017

Saiba como se forma um furacão

Climatempo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade