PUBLICIDADE

A poucos dias da COP-26, governo lança programa verde

Segundo o ministro do Meio Ambiente, o programa irá impulsionar a geração de uma economia verde a partir da ação integrada de 10 ministérios

25 out 2021 18h33
| atualizado às 18h47
ver comentários
Publicidade
Ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite
Ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite
Foto: Divulgação/Ministério do Meio Ambiente

A pouco mais de uma semana de Conferência do Clima da ONU, o governo federal lançou nesta segunda-feira (25) o Programa Nacional de Crescimento Verde (PNCV), que, segundo o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, irá impulsionar a geração de uma economia verde a partir da ação integrada de 10 ministérios.

Segundo o ministro, a agenda verde deixará de ser uma exclusividade de sua pasta e permitirá levar à reunião de cúpula do clima um "Brasil real", "empreendedor" e que realmente executa "atividade verde".

A política ambiental do Brasil tem sido alvo de críticas domésticas e internacionais.

Informações fornecidas pelo Ministério do Meio Ambiente apontam que o programa lançado nesta segunda deverá contribuir "para consolidar o Brasil como a maior potência verde do mundo, dadas suas características naturais e econômicas".

A pasta também explica que será criado um comitê interministerial sobre mudança do clima, de forma a integrar o planejamento e a execução de ações e recursos, "reforçando que este passa a ser o eixo mais importante da agenda econômica do governo federal".

Durante a cerimônia no Palácio do Planalto, que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do ministro da Eonomia, Paulo Guedes, e da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, entre outros, Leite explicou que o programa terá como objetivos a redução de emissões de carbono, a conservação de florestas e uso racional de recursos naturais, aliado à geração de empregos verdes, em que produtores receberão por serviços ambientais.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade