0

Alunos de SP planejam manter ocupação; PM controla acesso

29 abr 2016
17h33
atualizado às 17h33
  • separator
  • 0
  • comentários

Em protesto contra a qualidade da merenda escolar e cortes nos recursos da educaçãos, estudantes secundaristas ocuparam, na tarde de hoje (28), o prédio do Centro Paula Souza (CPS), na região central da capital paulista. Segundo os estudantes, a polícia agiu com violência para tentar impedir a ocupação do local.

“Sofremos repressão da polícia, que usou spray de pimenta, gás lacrimogêneo e agressões físicas durante a ação", afirmaram os estudantes.
“Sofremos repressão da polícia, que usou spray de pimenta, gás lacrimogêneo e agressões físicas durante a ação", afirmaram os estudantes.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

“Sofremos repressão da polícia, que usou spray de pimenta, gás lacrimogêneo e agressões físicas durante a ação", afirmaram os estudantes. Em nota divulgada pelas redes sociais, eles ressaltaram que as medidas repressivas foram tomadas contra manifestantes, em sua maioria, estudantes menores de idade.

O CPS é uma autarquia do governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. A instituição administra 219 escolas técnicas estaduais e 66 faculdades de tecnologia.

O CPS é uma autarquia do governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.
O CPS é uma autarquia do governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

“Nossa reivindicação imediata é que, enquanto não for encaminhada a construção de restaurantes estudantis em todas as escolas técnicas estaduais (o que garante nossa alimentação de qualidade para permanecermos o dia todo em aulas no colégio), que o Centro Paula Souza garanta vale-refeição para todos os estudantes se alimentarem”, diz nota do movimento.

Os estudantes planejam continuar a ocupação durante a noite e estão pedindo, pelas redes sociais, comida e água.
Os estudantes planejam continuar a ocupação durante a noite e estão pedindo, pelas redes sociais, comida e água.
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Polícia Militar está controlando o portão de acesso e tem viaturas e agentes em vários pontos ao redor do ao prédio. Os estudantes planejam continuar a ocupação durante a noite e estão pedindo, pelas redes sociais, comida e água. Eles afirmam que só deixarão o prédio se a direção do CPS garantir o cumprimento das pautas do movimento.

A reportagem não conseguiu, até o momento, contato com representantes do CPS e da Secretaria de Segurança Pública.

Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade