PUBLICIDADE

Polícia

Idoso saiu de casa vivo, mas entrou no banco morto, diz delegado

O delegado Fábio Luiz da Silva Souza deu detalhes sobre a análise das câmeras de segurança e dos depoimentos de testemunhas

18 abr 2024 - 22h55
(atualizado às 23h14)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Segundo o delegado Fábio Luiz da Silva Souza, Paulo Roberto Braga, de 68 anos, entrou no banco já morto, tentando realizar o empréstimo de R$ 17 mil solicitado por sua sobrinha, Érika de Souza Vieira Nunes, de 42 anos.
Morto em banco: vídeo mostra que motorista ajudou a tirar idoso de carro ao chegar em shopping
Morto em banco: vídeo mostra que motorista ajudou a tirar idoso de carro ao chegar em shopping
Foto: Reprodução

As investigações apontam que o idoso Paulo Roberto Braga, de 68 anos, teria saído de casa, na última terça-feira, 16, ainda com vida, mas entrado no banco já morto. Quem divulgou tal hipótese foi o delegado Fábio Luiz da Silva Souza, em entrevista ao programa UOL News, nesta quinta-feira, 18.

"Ele já entrou no banco morto. Ela [a sobrinha] sabia disso até quando fingia falar com ele", considera Souza. Ele se refere ao vídeo que viralizou de Érika de Souza Vieira Nunes, de 42 anos, tentando fazer com que o tio assinasse um empréstimo de R$ 17 mil. O homem, porém, estava morto.

"Ele chegou com vida, mas lá dentro, no shopping, a gente vê que ele entra em óbito. A cabeça dele cai, fica totalmente solta e não tem mais nenhum tipo de movimento. É assim que ele entra no banco. Ele não tinha condições nenhuma de sair de casa naquele dia", afirma o delegado.

Fábio Souza também argumenta que Érika contou em depoimento ter precisado da ajuda de um conhecido para por Paulo Roberto no carro de aplicativo para ir ao shopping. O idoso chegou a ser carregado pelo homem, que disse que ele estava vivo no momento.

Morto em banco: novas imagens mostram idoso inerte ao chegar em agência no RJ:

"Ao invés de levar uma pessoa nesse estado para o hospital, ele foi levado para o shopping. Por que para o shopping primeiro? Porque o shopping fornece cadeira de rodas. Ela pegou a cadeira de rodas, sentou para tomar café e, nesse momento, a gente começa a perceber que ele já entrou em óbito", argumenta.

Anteriormente, em outra entrevista, o delegado havia contado que Érika teria tentado pedir, ao todo, três empréstimos com Paulo Roberto - contando com a tentativa no banco Itaú, onde ele estava morto. Além disso, testemunhas contaram à polícia que a sobrinha tentou comprar bens, como telefones celulares. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade