PUBLICIDADE

Governo concede anistia política a 82 pessoas

10 dez 2010 03h41
Publicidade

O ministro da Justiça, Luiz Barreto, concedeu anistia política a 82 pessoas, vítimas de perseguição durante a Ditadura Militar. Entre os beneficiados em portarias publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira estão a atriz Norma Bengell, o ator e diretor teatral José Celso Martinez, e o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, morto em 1997.

Com a anistia, parte dos beneficiados vai receber pensão mensal vitalícia, em valores que variam entre R$ 700 e R$ 5 mil. Além disso, recebem indenização retroativa, que pode chegar a cerca de R$ 600 mil. Em 44 dos casos, o benefício se restringiu a uma parcela única que varia entre R$ 15,3 mil e R$ 100 mil.

A atriz Norma Bengell foi presa diversas vezes no regime militar. Depois, se exilou na França em 1971. Ela vai receber R$ 2.734,52 mensais e indenização retroativa de R$ 254.583,81.

Betinho foi militante da Ação Popular (AP) e ficou exilado em diversos países até voltar ao Brasil, em 1979. Ele morreu de Aids em 1997, depois de se destacar em lutas sociais no País. Sua viúva, Maria Nakano, receberá pensão de R$ 2.294,61 e um retroativo de R$ 652.281,14. Martinez, por sua vez, receberá R$ 5 mil mensais e indenização de R$ 569 mil.

"Foi um reconhecimento tardio. Mas é uma decisão justa a favor de alguém que lutou contra a ditadura e foi atingido por ela", comentou Maria Nakano. Dos 68 mil processos enviados para a comissão de anistia, criada em 2001, 53 mil já foram julgados.

Fonte: O Dia
Publicidade