PUBLICIDADE

Embaixador pede investigação sobre morte de índios na Venezuela

30 ago 2012 18h49
| atualizado às 22h40
Publicidade

O embaixador do Brasil na Venezuela, José Antonio Marcondes de Carvalho, encaminhou um pedido formal às autoridades daquele País para verificar o teor e a vericidade das notícias sobre o assassinato de índios yanomamis por garimpeiros brasileiros. De acordo com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia (Coiam), o massacre dos indígenas ocorreu em julho deste ano, na fronteira entre os dois países.

O Coiam divulgou um documento baseado no relato de três indígenas que dizem ter sobrevivido ao massacre, pois estavam na floresta no momento do ataque. Os indígenas contam que garimpeiros cercaram a casa coletiva, dispararam contra eles e atearam fogo à casa. Segundo a coordenação, o número de mortos é incerto.

No documento, a Coiam solicita ao governo da Venezuela que realize uma investigação sobre o caso e adote medidas bilaterais com o Brasil para controlar e vigiar a entrada de garimpeiros no município de Alto Ocamo (Venezuela), local do suposto massacre.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, tanto a embaixada quanto o consulado brasileiro em Caracas estão trabalhando para apurar os fatos e saber o que ocorreu. Ainda não houve resposta por parte do governo venezuelano.

Agência Brasil Agência Brasil
Publicidade