1 evento ao vivo

TJRJ proíbe retorno às aulas na rede privada da capital

Decisão suspende decreto do prefeito Marcelo Crivella; alguns colégios particulares já haviam retomado atividades

6 ago 2020
13h08
atualizado às 13h15
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou nesta quinta-feira, 6, a suspensão do decreto do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) que autorizava o retorno às aulas presenciais na rede privada da capital. A medida havia sido assinada no mês passado e estava em vigor desde o início da semana, o que levou alguns colégios particulares do Rio a retomarem suas atividades.

Retorno à sala de aula pós-covid-19 será enorme problema de política pública
Retorno à sala de aula pós-covid-19 será enorme problema de política pública
Foto: Agência Brasil - 26/5/2020 / Estadão Conteúdo

A decisão é do desembargador Peterson Barroso Simão, da Terceira Câmara Cível do TJRJ. Ele determinou a suspensão do decreto 47.683, editado em 22 de julho por Crivella, e que permitia a reabertura das escolas privadas, de forma voluntária, para o 4º, 5º, 8º e 9º anos.

Além de tornar nulo os efeitos daquele decreto, o magistrado também determinou que a prefeitura está proibida de expedir qualquer outro ato administrativo para promover o retorno das atividades educacionais presenciais nas creches e escolas privadas. Em caso de descumprimento, Marcelo Crivella estará sujeito à multa diária de R$ 10 mil.

O Estadão aguarda posicionamento da prefeitura do Rio.

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade