PUBLICIDADE

SP: Tarcísio pede que turistas retornem, anuncia resgate marítimo de vítimas e hospital de campanha

Governador pediu em entrevista nesta terça-feira que população 'flutuante' volte para casa para reduzir pressão sobre os serviços no litoral norte

21 fev 2023 - 10h31
(atualizado às 13h06)
Compartilhar
Exibir comentários
O presidente Lula fala em São Sebastião, ao lado do governador Tarcísio de Freitas, em visita à cidade após chuvas atingirem a região
O presidente Lula fala em São Sebastião, ao lado do governador Tarcísio de Freitas, em visita à cidade após chuvas atingirem a região
Foto: Renata Cafardo/Estadão / Estadão

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, anunciou na manhã desta terça-feira, 21, a instalação de um hospital de campanha pela Marinha em São Sebastião, com 300 leitos e 21 profissionais de saúde disponíveis para atender as vítimas das chuvas na região.

O litoral Norte de São Paulo registrou chuvas recordes no último fim de semana. Ao menos 45 pessoas morreram em decorrência dos deslizamentos e enchentes. De 30 a 40 pessoas ainda estão desaparecidas, segundo o governo. Em boletim divulgado na manhã desta terça, o governo de São Paulo informou ainda haver 1.730 pessoas desalojadas e 766, desabrigadas.

Tarcísio anunciou o deslocamento do navio Atlântico, da Marinha, para a região afetadas pelas chuvas e agradeceu a ajuda das Forças Armadas, em entrevista. Maior navio de guerra do País, a embarcação costuma ser enviada para operações de apoio e ações humanitárias em outros países.

Os pacientes vão passar por uma triagem antes de serem encaminhados ao hospital de campanha, segundo o governador.

Além dessa estrutura, a Marinha ainda vai fornecer 180 fuzileiros navais que serão incorporados às equipes de defesa civil e embarcações com capacidade de acessar as praias para poder fazer o deslocamento de pessoas também pelo mar.

Tarcísio pediu ainda para que os turistas que estão na região por causa do carnaval voltem para suas casas na capital ou outros pontos do Estado para "aliviar a pressão" sobre os serviços locais.

"A recomendação para as pessoas, hoje, é quem faz parte dessa população flutuante, quem veio para cá passar o carnaval, que comece a retrair. A gente tem que aproveitar a condição climática, que o tempo está favorável. Não podemos perder essa janela de tempo. Quanto mais gente sair, melhor, porque alivia a pressão", disse.

Segundo ele, a volta deve ser feita pela Rio-Santos, em direção a São Sebastião, e depois pela Tamoios, já que outras alternativas ainda estão com pontos de bloqueio.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade