10 eventos ao vivo

Cidades

SP: Haddad libera corrida de táxi com preços pré-fixados

Luiz Claudio Barbosa / Futura Press
7 jan 2015
15h06
atualizado às 15h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Portaria publicada na edição desta terça-feira no Diário Oficial da Cidade de São Paulo autoriza, em caráter inicial, os taxistas da capital a adotarem o sistema de cobrança de tarifa pré-fixada. O valor da corrida, nestes casos, será determinado pela quilometragem entre os endereços inicial e final, independentemente do trânsito registrado no caminho. O sistema já é usado em guichês do aeroporto de Congonhas e das rodoviárias Tietê e Barra Funda. 

Para calcular a distância entre a origem e o destino do passageiro, o taxista poderá usar qualquer sistema de mapa eletrônico, como GPS ou aplicativos de internet. Em todos os casos, deve obedecer a menor distância apontada.

Em seguida, ele deverá consultar a tabela oficial e verificar o valor a que aquela distância corresponde. Por exemplo: no táxi comum, para 1 km percorrido, será cobrado R$ 8 na bandeira 1 e R$ 9 na bandeira 2; para 2 km, R$ 12 na bandeira 1 e R$13 na bandeira 2; para 3 km, R$ 15 na bandeira 1 e R$ 17 na bandeira 2. 

De acordo com o texto, esta tabela deverá ser colocada em local visível nas cabines, no ponto privativo e dentro dos veículos para consulta dos passageiros. Além disso, deverá ser fixado também um aviso de que o sistema de bilhetes de pré-tarifa é opcional, podendo, a critério do usuário, ser utilizado o taxímetro como forma de cobrança.

O sistema de tarifa pré-fixada costuma valer a pena quando há registro de congestionamento intenso. Ainda segundo a Portaria, assinada pelo secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, a medida atende a "necessidade de oferecer um sistema confortável e seguro tanto para o passageiro quanto para o condutor" considerando "as novas tecnologias que permitem a roteirização e o cálculo da distância a ser percorrida". 

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade