Nutrólogo acusado de abuso sexual é preso em São Paulo

Com mandado de prisão preventiva em aberto, o nutrólogo Abib Maldaun Neto foi abordado e detido na zona sul da capital

14 dez 2020
12h22 atualizado às 12h31
0comentários
12h22 atualizado às 12h31
Publicidade

SÃO PAULO - O nutrólogo Abib Maldaun Neto, que é acusado de abuso sexual por uma série de pacientes, foi preso na manhã desta segunda-feira, 14, na zona sul de São Paulo. Segundo a Polícia Civil, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) havia decretado a prisão preventiva do médico recentemente.

Ao Estadão, investigadores relataram que Maldaun Neto havia feito um acordo para se apresentar hoje à polícia, mas o veículo continuou sendo monitorado para evitar fuga. Ao notar que o carro se dirigia em sentido contrário ao local combinado, o médico acabou abordado e detido pela Polícia Militar, já próximo ao Aeroporto de Congonhas.

O nutrólogo Abib Maldaun Neto, acusado de abuso sexual por 21 pacientes
O nutrólogo Abib Maldaun Neto, acusado de abuso sexual por 21 pacientes
Foto: Reprodução YouTube / Estadão Conteúdo

O nutrólogo foi conduzido à Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, para prestar depoimento. Segundo autoridades, ele estaria solicitando uma vaga especial no sistema penitenciário por ter curso superior.

Em um dos casos, o nutrólogo foi condenado em 2018 a 2 anos e 8 meses de prisão em regime semiaberto por violação sexual mediante fraude. Depois da confirmação da sentença em segunda instância, a defesa recorreu ao STJ.

Em setembro, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) suspendeu por seis meses o registro de Maldaun Neto. "O Cremesp esclarece ainda que, mesmo com a interdição cautelar, sindicâncias e processos ético-profissionais em curso contra o médico seguirão normalmente, sob sigilo determinado por lei", disse o órgão, na época.

Em nota postada em seu site, Maldaun diz jamais ter praticado "qualquer ato ilícito ou abusivo contra qualquer paciente". "Mantenho firme a confiança na justiça dos homens e de Deus, para provar a minha inocência, colocando-me à disposição para contribuir na apuração da verdade real dos fatos", afirmou.

Estadão
Publicidade
Publicidade