0

Duas pessoas caem de viaduto durante protesto em Belo Horizonte

17 jun 2013
21h37
atualizado às 21h51
  • separator
  • comentários

Duas pessoas caíram do viaduto José Alencar, em Belo Horizonte, que foi palco nesta segunda-feira de confronto entre a polícia e manifestantes que protestam contra a Copa das Confederações e o aumento da passagem de ônibus na cidade. Gustavo Magalhães Justino, 19 anos, caiu do viaduto durante o confronto e foi encaminhado ao hospital Risoleta Neves. Segundo a polícia, ele caiu quanto tentava saltar de um nível para o outro. Seu estado de saúde é estável e ele não corre risco.

<p>Manifestantes foram às ruas de Belo Horizonte protestar nesta segunda-feira</p>
Manifestantes foram às ruas de Belo Horizonte protestar nesta segunda-feira
Foto: Diego Garcia / Terra

O mesmo aconteceu com uma mulher carregando uma criança no colo também caiu do viaduto. Ela não foi identificada e não há informações sobre o estado de saúde dela e da criança. Ela teria tido fratura exposta.

O confronto entre a polícia e os manifestantes aconteceu a cerca de dois quilômetros do Mineirão. Pelo menos 10 pessoas ficaram feridas com estilhaços e balas de borracha, mas não precisaram ser encaminhadas ao hospital. Durante o ponto alto do protesto, entre 30 mil e 40 mil pessoas participaram da manifestação. Diversas lojas de veículos tiveram as vidraças quebradas na avenida Abrahão Caram.

Segundo um dos líderes do movimento, que não quis se identificar, o confronto começou quando três ou quatro manistantes tentaram furar o cerco policial, que tentava impedir que o protesto chegasse ao Estádio do Mineirão. Depois disso, houve quebradeira, com a polícia jogando bombas de gás lacrimogêneo e manifestantes atirando paus e pedras.

"Nos deram um ultimato. Ou a gente liberava o acesso para o Mineirão ou eles iriam forçar a contenção. Eu pedi um tempo para organizar essa contenção, eles partiram para cima de nós policias. E aí tivemos que reagir. Nós não agimos, nós não queríamos que tivesse acontecido dessa forma", afirmou o tenente-coronel Alberto Luiz, assessor de comunicação da polícia, que estava à frente dos policiais no local do confronto.

Um mecânico que não quis se identificar disse que estav voltando para casa e foi ferido com balas de borracha, mesmo sem participar das manifestações. Depois do confronto, milhares de manifestantes voltaram para o centro de Belo Horizonte, já que não conseguiram acessar o Mineirão, e tomaram a praça Sete de Setembro. Pelo menos 10 mil pessoas ocupam o local e ruas e avenidas próximas.

O sistema de monitoramente de trânsito da BHTrans, que gerencuia o trânsito de Belo Horizonte, caiu durante a tarde. O órgão afirma que o sistema não foi derrubado de propósito, mas que houve uma sobrecarga pelo alto número de acessos.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • comentários
publicidade