PUBLICIDADE

Presidente da Fifa participa de Congresso da Uefa e cobra ações mais efetivas contra o racismo

Gianni Infantino tem se mostrado preocupado com aumento dos casos no futebol

8 fev 2024 - 14h07
(atualizado às 16h57)
Compartilhar
Exibir comentários
Infantino voltou a falar em derrota automática em casos de racismo
Infantino voltou a falar em derrota automática em casos de racismo
Foto: JULIEN DE ROSA | AFP via Getty Images / Esporte News Mundo

Nesta quinta-feira (8), o presidente da Fifa, Gianni Infantino, esteve presente no 48º Congresso Ordinário da Uefa, em Paris. A luta contra o racismo voltou a ser tema. Na reunião de dirigentes do continente europeu, o mandatário afirmou que as medidas tomadas pelas entidades visando acabar com o problema não são suficientes.

7 tipos de racismo para não reproduzir 7 tipos de racismo para não reproduzir

"Há muitos incidentes racistas nos últimos tempos. É preciso parar issso. O racismo é crime, é preciso erradicá-lo. O que fazemos não é suficiente. O que eu sugiro, todos juntos, nos três meses que vêm, antes do congresso da Fifa, em maio, é que nós trabalhemos para encontrar soluções", declarou o presidente da entidade máxima do futebol.

Em janeiro, após o goleiro do Milan, Maignan, ser vítima de racismo em partida contra a Udinese, pelo Campeonato Italiano, Infantino sugeriu derrota automática em casos assim. Gianni voltou a falar sobre.

"Devemos assumir nossas responsabilidades. É preciso impor uma derrota automática aos clubes responsáveis - disse o presidente da Fifa, propondo um protocolo em três etapas para lidar com o racismo: a interrupção da partida até duas vezes antes de declará-la abandonada"falou.

No duelo citado, o mesmo foi paralisado por aproximadamente cinco minutos após Maignan relatar as ofensas racistas ao árbitro. Os jogadores chegaram a deixar o campo, mas retornaram algum tempo depois. Na ocasião, o Milan venceu a partida por 3 a 2, com Loftus-Cheek, Luka Jovic e Noah Okafor anotando os tentos do Rubro-Negro, enquanto Lazar Samardzic e Florian Thauvin marcaram os gols dos Bianconeri.

Os casos de racismo que vêm ganhando mais repercussão são contra o brasileiro Vinícius Júnior. O jogador tem sido constantemente alvo de torcedores rivais na Espanha.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade