PUBLICIDADE

Indigenista e jornalista britânico somem na Amazônia

Bruno Araújo Pereira e Dom Phillips viajavam em área remota

6 jun 2022 - 13h53
(atualizado às 16h39)
Ver comentários
Publicidade
Dom Phillips, jornalista inglês que desapareceu na Amazônia
Dom Phillips, jornalista inglês que desapareceu na Amazônia
Foto: Twitter

O indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), e o jornalista britânico Dom Phillips estão desaparecidos na Amazônia desde o último fim de semana.

De acordo com a União das Organizações Indígenas do Vale do Javari (Univaja), terra demarcada no extremo oeste do estado do Amazonas, os dois sumiram enquanto viajavam entre a comunidade ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte.

"A Coordenação da Organização Indígena Univaja e o OPI - Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato vêm a público informar que o indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista Dom Phillips, de nacionalidade inglesa e correspondente do jornal The Guardian, encontram-se desaparecidos há mais de 24 horas", diz uma nota da entidade.

Segundo o comunicado, Pereira e Phillips chegaram na noite de 3 de junho em uma localidade conhecida como Lago do Jaburu, onde o jornalista fez entrevistas com indígenas. Já no domingo (5), os dois iniciaram a viagem de volta para Atalaia do Norte e fizeram uma parada na comunidade São Rafael, onde Pereira teria uma reunião com ribeirinhos e indígenas sobre a vigilância do território.

De acordo com a Univaja, o indigenista e o repórter deveriam ter chegado em Atalaia do Norte por volta de 8h ou 9h de domingo, "o que não ocorreu". A entidade enviou equipes de busca às 14h e às 16h do mesmo dia, mas sem sucesso.

"Ressalta-se que Bruno Pereira é pessoa experiente e profundo conhecedor da região, pois foi Coordenador Regional da Funai de Atalaia do Norte por anos. Os dois desaparecidos viajavam com uma embarcação nova, 40 HP, 70 litros de gasolina, o suficiente para a viagem, e sete tambores vazios de combustível", diz a nota.

A Univaja aponta ainda que a equipe da entidade vinha recebendo "ameaças em campo". O próprio Pereira era alvo de intimidações por seu trabalho contra invasores em aldeias remotas na região, como garimpeiros e madeireiros.

Segundo informações da GloboNews, a Polícia Federal não descarta a hipótese de que os dois tenham sido capturados e sequestrados por garimpeiros

O jornal The Guardian afirmou estar "muito preocupado" e cobrou informações sobre o paradeiro de Phillips, que é baseado em Salvador e cobre o Brasil há mais de 15 anos. "Estamos em contato com a embaixada britânica no Brasil e autoridades locais e nacionais para tentar determinar os fatos o quanto antes", acrescentou o diário.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade