PUBLICIDADE

Federação Paulista e Abrafut repudiam fala machista de Ramón Diáz

Técnico do Vasco julga "complicado" que VAR seja decidido por mulher

18 abr 2024 - 15h33
Compartilhar
Exibir comentários
Ramón Diáz se retratou das falas machistas junto a alguns jornalistas remanescente no local
Ramón Diáz se retratou das falas machistas junto a alguns jornalistas remanescente no local
Foto: Divulgação: Daniel Ramalho/Vasco

A Associação Brasileira de Árbitros (Abrafut) e a Federação Paulista de Futebol (FPF) repudiaram os comentários machistas do técnico argentino Ramón Diáz, do Vasco, feitos durante coletiva na noite de quarta-feira (17). A fala machista foi dita quando o treinador se referia à derrota do time carioca para o Grêmio no último domingo (14), na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, a responsável pelo VAR era Daiane Muniz (Fifa/SP).

6 atitudes machistas que você reproduz diariamente e não percebe 6 atitudes machistas que você reproduz diariamente e não percebe

“Com respeito aos árbitros, não podemos falar muito, porque tem o VAR. E, na última partida, que foi na casa do Vasco, uma senhorita, uma mulher, interpretou um pênalti de outra maneira. O futebol é diferente. Principalmente de que o VAR tenha que ser decidido por uma mulher. Acho que é complicado, porque o futebol é tão dinâmico, tanta pressão, tão rápido, com decisões tão rápidas”, disse o técnico.

A Abrafut foi a primeira entidade a condenar veementemente os comentários do treinador, classificando-o como “misógino”, e reiterou o profissionalismo da árbitras de vídeo que aturaram no último domingo no estádio de São Januário.   

“As mulheres em questão são excelentes profissionais da arbitragem. A árbitra internacional que vai nos representar nas olimpíadas de Paris em 2024, Daiane Muniz e também a árbitra internacional Charly Wendy Deretti, que conquistaram por capacidade esse lugar. Competência não é medida pelo gênero”, enfatizou a Abrafut.

Nesta quinta-feira (18), a FPF também criticou a fala do técnico argentino e saiu em defesa de árbitra paulista Daiane Muniz.

“Causa imensa repulsa e indignação os comentários machistas do treinador do Vasco, Ramón Díaz, proferidos nesta quarta-feira (17), após jogo do Brasileirão, em que ofende a árbitra mundialista Daiane Muniz, do quadro da FIFA. É estarrecedor que o futebol ainda seja palco para declarações retrógradas e ignorantes, sobretudo vindo de uma pessoa que ocupa um cargo de tamanha visibilidade e importância, em um clube tão relevante do futebol nacional”, reiterou a federação.

Reclamação sobre pênalti não marcado

Ao falar da partida Vasco x Grêmio do último domingo (14), Ramón Diáz relembrou o lance controverso ocorrido aos quatro minutos do segundo tempo. Na ocasião, o jogador Galdames (Vasco) reclamou de uma falta dentro de campo cometida pelo zagueiro Rodrigo Ely (Grêmio). Ao rever o lance, a árbitra do VAR Daiane Muniz considerou pênalti para o Cruzmaltino em comunicação com o árbitro de campo Flávio Rodrigues de Souza, mas depois voltou atrás. .

Após o término da coletiva, antes de sair do estádio Nabi Abi Cheddid, em Bragança Paulista (SP), Ramón Diáz se retratou das falas machistas junto a alguns jornalistas remanescente no local.

“Quero pedir desculpas, mas me pareceu que o que quis dizer é que uma só pessoa não pode decidir e ter uma decisão tão importante para o futebol como é o VAR. Se interpretaram mal, peço desculpas, mas não foi minha intenção”, afirmou o técnico.

O Vasco da Gama também lamentou a declaração de Diáz, no início da madrugada na quarta-feira (17).

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Agência Brasil Agência Brasil
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade