PUBLICIDADE

Estudante de moda denuncia professora por racismo no Espírito Santo

Carolina Bittencourt disse que a professora teria falado em aula que "tatuagem em pele negra parece encardida"

23 jun 2022 20h57
| atualizado às 21h30
ver comentários
Publicidade
A aluna de moda Carolina Bittencourt
A aluna de moda Carolina Bittencourt
Foto: Reprodução/Instagram/@carolinabitten_

Um caso de racismo ganhou as redes depois que Carolina Bittencourt, aluna do curso de Design de Moda, do Centro Universitário Faesa, em Vitória (ES), acusou a professora Juliana Zucolotto de racismo.

A estudante relatou que durante uma aula a professora teria falado que "tatuagem em pele negra parece encardida" e que "tatuagens eram coisas de escravos". Carolina relatou o caso através de um vídeo em seu Instagram "Eu acabei de passar por um preconceito na sala de aula".

A Polícia Militar esteve no local e ambas envolvidas foram encaminhadas para Delegacia Regional de Vitória. Em depoimento a professora se defendeu dizendo que tudo não passou de um “mal entendido”. Ela relatou que "somente fez um comentário acerca da história do uso de tatuagem e que fora mal interpretada pela aluna, contudo se dispôs a prosseguir à delegacia para esclarecer os fatos".

A professora foi autuada em flagrante por injúria racial. Após pagar fiança, ela foi liberada. O caso segue sob investigação.  A faculdade abriu um processo administrativo para apurar a postura da funcionária.

Com informações de 'A Gazeta'.

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade