PUBLICIDADE

Daniel Alves é condenado a 4 anos e 6 meses na Espanha

A defesa do ex-jogador ainda pode recorrer à decisão no Tribunal Superior de Justiça da Catalunha (TSJC) e no Supremo Tribunal da Espanha

22 fev 2024 - 07h21
(atualizado às 09h32)
Compartilhar
Exibir comentários
A condenação de Daniel Alves chega apenas duas semanas após o término do julgamento
A condenação de Daniel Alves chega apenas duas semanas após o término do julgamento
Foto: jogador de futebol é condenado na Espanha por estupro - Instagram / Reprodução / Perfil Brasil

A Justiça condenou o ex-jogador da seleção brasileira, Daniel Alves, a 4 anos e 6 meses de prisão pelo tribunal de Barcelona, Espanha, nesta quinta-feira (22). Ele estuprou uma mulher na boate Sutton, em Barcelona, no final de 2022.

Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão Daniel Alves: da acusação de estupro à condenação de 4 anos e 6 meses de prisão

A sentença, dada pela juíza Isabel Delgado na 21ª Seção de Audiência de Barcelona, inclui, por outro lado, uma pena de liberdade supervisionada de cinco anos. Daniel Alves cumprirá esta pena, contudo, após o tempo que passar prisão, além de nove anos de afastamento da vítima.

Ele deve pagar uma indenização de 150 mil euros (cerca de R$ 804 mil).  O ex-jogador também deve pagar as custas do processo. A condenação de Daniel Alves chega apenas duas semanas após o término do julgamento.

A defesa do ex-jogador ainda pode recorrer à decisão no Tribunal Superior de Justiça da Catalunha (TSJC) e no Supremo Tribunal da Espanha.

Caso Daniel Alves: quem foram as principais testemunhas do julgamento Caso Daniel Alves: quem foram as principais testemunhas do julgamento

Segundo o jornal 'La Vanguardia', o tribunal considera que ficou comprovado que a vítima não consentiu e que existem elementos de prova, além do testemunho da denunciante, para considerar a violação como provada.

Daniel Alves chegou ao local por volta das 10h (6h no horário de Brasília). No momento da leitura da sentença estavam presentes também as partes no processo contra o jogador.

Ou seja, a promotora, Elisabet Jiménez; a promotora e advogada da denunciante, Ester García; e também a defesa e advogada de Daniel, Inés Guardiola.

* Reportagem em atualização. 

Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade